Home Política Denúncias contra clã Bolsonaro e PSL anunciam: ‘governo está fadado ao fracasso’
Conjuntura

Denúncias contra clã Bolsonaro e PSL anunciam: ‘governo está fadado ao fracasso’

Avaliação do sociólogo, cientista político e pesquisador Marcelo Marcelino tem por base as denúncias que envolvem o clã Bolsonaro com milicianos e desvio de recursos do fundo partidário
Publicado por Redação RBA
10:07
Compartilhar:   
Wilson Dias/EBC
Bolsonaro e Flávio

A mais recente denúncia envolvendo Flávio Bolsonaro revela ainda atuação de irmã de miliciano no caixa do PSL no Rio

São Paulo – As denúncias relativas a desvio de recursos do fundo partidário, o envolvimento com milícias e a crise interna entre os membros do governo que tem comprometido a capacidade de mediação anunciam que “o governo Bolsonaro está fadado ao fracasso”. A análise é do sociólogo, cientista político, economista e pesquisador da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Marcelo Marcelino.

Em entrevista à jornalista Marilu Cabañas, na Rádio Brasil Atual, nesta segunda-feira (25), Marcelino justificou sua avaliação com base na divisão que o clã Bolsonaro – formado pelo presidente e seus filhos, com atuação mais destacada do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) – tem criado na chamada classe dominante. Segundo ele, os reflexos do que acontece neste segmento, que “desde o Brasil Colônia” dita os interesses no país, podem ser vistos no comportamento da mídia tradicional.

“Pelo andar das contradições, principalmente pelas disputas entre a Rede Globo, a Record e outros grupos que estão à frente, isso terá uma repercussão negativa sobre ele (Bolsonaro), que terá muita dificuldade para governar”, explica.

Ainda segundo o sociólogo, o governo não terá capacidade tirar o Brasil da recessão econômica e as mais recentes denúncias que ligam Flávio Bolsonaro a milicianos por ter, além de empregado seus parentes, ter nomeado para um cargo de confiança a irmã de milicianos na administração financeira do partido e de sua campanha, criam um ambiente mais instável para a gestão.

Ouça a entrevista na íntegra