Tragédia

Manaus: autoridades brasileiras mostram ‘inação, descaso e negligência’, diz Oxfam

ONG pede fim de “disputa política e ideológica”, adoção de protocolos internacionais e punições

Tenentes Padoan e Danton/Ala 8-Fotos Públicas
FAB transporta pacientes, acompanhados por equipes de saúde, de Manaus para Teresina: correndo contra o tempo

São Paulo – A Oxfam Brasil divulgou nota nesta sexta-feira (15) na qual “repudia a inação, o descaso e a negligência de autoridades públicas brasileiras diante da pandemia e do novo morticínio em Manaus, tragédia anunciada que poderá se espalhar rapidamente para outras cidades brasileiras”. A organização pede a adoção “definitiva” de protocolos internacionais e punição aos responsáveis pela tragédia.

“Em vez de cumprirem os protocolos científicos e sanitários aprovados internacionalmente, autoridades e lideranças do governo federal, bem como parlamentares e até mesmo autoridades estaduais, optaram pelo negacionismo, pela falta de ação e, em alguns casos, pelo ‘deboche’ da pandemia”, afirma a Oxfam. Com críticas aparentemente dirigidas ao governo central.

Remédios enganosos

“A população brasileira está sendo empurrada para uma verdadeira roleta-russa, com estímulos às aglomerações, a ausência de um plano consistente de vacinação e pela irresponsável recomendação de um tratamento com remédios ineficazes e enganosos no lugar da infraestrutura necessária a hospitais”, acrescenta a entidade.

A única autoridade citada nominalmente é o ministro da Saúde. Segundo a Oxfam, Eduardo Pazuello visitou Manaus nesta semana para “reforçar a obsessão governamental com sua oferta de cloroquina, um dos medicamentos sem respaldo científico no mundo para a covid-19 e distribuído pelo governo”. Depois, ele “reconheceu a falta de oxigênio nos hospitais e tardou para atender à necessidade da cidade, com uma informação, a ser verificada, de falta de aviões”.

Crise humanitária

Assim, a organização avalia que a crise humanitária poderia ser evitada casos os governos (federal, estadual e municipal) tomassem as medidas adequadas. “Não é verdade que lideranças do governo tenham sido surpreendidas pelo que acontece em Manaus e pela grave situação em outras cidades brasileiras.”

Na nota – assinada pela diretora executiva, Katia Maia –, a Oxfam Brasil pede ainda que o Judiciário investigue e responsabilize os envolvidos. “Basta de disputa política e ideológica. Urge a adoção de medidas jurídicas severas e a adoção definitiva dos protocolos internacionais e científicos para a proteção mínima da população brasileira. A Justiça tem que atuar e punir exemplarmente os responsáveis pela tragédia que o país vive.”


Leia também


Últimas notícias