Preocupação

Chuvas no Rio Grande do Sul voltam e impedem ações de salvamento

Os resgates com barcos foram suspensos temporariamente em razão das chuvas que voltaram a cair em regiões do Rio Grande do Sul. Doações começam a chegar

Gustavo Mansur/ Palácio Piratini
Gustavo Mansur/ Palácio Piratini
"Assim que as condições meteorológicas permitirem, as atividades serão retomadas", disse a prefeitura

São Paulo – Com o retorno das chuvas intensas e ventos fortes, a prefeitura de Porto Alegre emitiu um comunicado orientando a suspensão temporária das operações de resgate com barcos na região. O município alerta para a previsão de chuvas de até 15 milímetros nas próximas horas. Além de ventos que podem atingir até 80 km/h e raios em toda a região metropolitana.

“Pedimos atenção e colaboração de todos os envolvidos nas operações de resgate para que suspendam temporariamente suas atividades”, informou o Executivo local.

A situação permanece crítica em todo o Rio Grande do Sul. “Assim que as condições meteorológicas permitirem, as atividades serão retomadas”, disse a prefeitura. A Defesa Civil do estado já havia alertado anteriormente sobre a possibilidade de chuvas fortes. Também ventos isolados superiores a 90 km/h, descargas elétricas e até queda de granizo em diversas áreas. O alerta está vigente até as 20h desta quarta-feira.

Chuvas no Rio Grande do Sul

Na quinta-feira (9), está previsto que o ar frio avance, provocando uma queda nas temperaturas em todo o estado. As mínimas devem variar entre 5°C e 11°C no centro-sul, região dos municípios de Arroio dos Ratos e Charqueadas, fortemente afetados pelas chuvas. Ainda existe expectativa de que as chuvas persistam no sul gaúcho durante o dia.

Em relação aos impactos das chuvas, o número de vítimas fatais no Rio Grande do Sul chegou a 100, conforme boletim divulgado na manhã desta quarta-feira. Além disso, há 128 pessoas desaparecidas e 372 feridas. Mais de 1,4 milhão de habitantes sofrem com as enchentes, com 163 mil desalojados e mais de 66 mil acolhidos em abrigos. Cerca de 83,9% dos municípios gaúchos estão em emergência pelos temporais.

Ações solidárias em prol dos afetados

Diante da gravidade da situação, o governo federal, sindicatos, movimentos sociais e milhões de cidadãos estão unindo esforços em uma grande operação de auxílio aos atingidos pelas chuvas. Nesta quarta-feira, 52 mil cestas de alimentos enviadas pelo Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS) e pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) começaram a chegar à unidade armazenadora da Conab em Canoas (RS). O investimento destinado à aquisição dos alimentos é de R$ 8,39 milhões.

“As cestas serão distribuídas prioritariamente nas Cozinhas Emergenciais, localizadas em áreas de calamidade, para atender aqueles que mais necessitam. Reitero que a Conab está empenhada em fornecer alimentos a todas as áreas afetadas pelas enchentes em nosso estado. Juntos, e sob a liderança do presidente Lula, superaremos esse momento difícil”, afirmou o presidente da Conab, Edegar Pretto.

Essa iniciativa se soma a um esforço bilionário do governo federal no estado. Além disso, é importante destacar as ações solidárias de indivíduos e personalidades conhecidas, como o influenciador Felipe Neto e os músicos da banda gaúcha Fresno, que mobilizaram recursos significativos para auxiliar o estado. Empresas como a Ambev também estão contribuindo, interrompendo a produção de cerveja em suas fábricas no Sul para engarrafar água destinada aos afetados pelas enchentes.