Datafolha

Para 79%, pandemia está fora de controle. Medo de ser contaminado bate recorde

No pior momento do surto de coronavírus no Brasil, com tendência de piora para as próximas semanas, a parcela da população que teme se infectar saltou de 44% para 55% em dois meses

Diego Vara
Percepção de que a pandemia está fora de controle é mais alta entre os que rejeitam o governo Bolsonaro (94%) e os que não confiam em suas declarações (93%)

São Paulo – O medo de ser infectado pela covid-19 e a percepção de que a pandemia está fora de controle atingem níveis recordes entre a população brasileira. De acordo com pesquisa Datafolha, divulgada na noite desta quinta-feira (18), 79% disseram achar que a pandemia atinge seu pior momento no país sem qualquer controle. 

Na pesquisa anterior do instituto, realizada entre 20 e 21 de janeiro, 62% da amostra manifestava essa opinião. Houve também recuo no percentual de entrevistados que apontavam a doença como parcialmente controlada. Em dois meses, essa percepção caiu de 33% para 18%. Outros 2% responderam que a pandemia está totalmente controlada e 1% não soube avaliar. 

O Datafolha também questionou sobre o temor de se infectar pelo vírus neste momento em que a covid-19 já matou quase 288 mil e que o país passa por um colapso nacional no sistema de saúde devido ao pico de infecções. A maioria, 55% dos entrevistados, declarou ter muito medo. O percentual alcançou nível recorde, comparado com o levantamento de janeiro, que registrou 44%. Outros 27% responderam ter pouco medo, 12% disseram não ter e 7% relataram já ter contraído a doença. 

Percepção por extratos

Entre parte da parcela que passou a declarar muito medo de ser infectado estão inclusive os jovens de 16 a 24 anos. A estimativa de 48% ficou à frente dos 34% registrados pelo Datafolha há dois meses. Entre esse grupo, os registros de infectados cresce cada vez mais e já pressiona o sistema de saúde de alguns estados.

O instituto também indicou que a percepção de que a disseminação do novo coronavírus está fora de controle é majoritária mesmo entre os que estão vivendo normalmente, sem nenhuma medida extra de isolamento. 

Especialistas citam o isolamento, o uso de máscara e a vacinação em massa como algumas das principais medidas para conter o surto da doença, que há 20 dias seguidos bate recorde de casos diários e óbitos. A média de mortos, calculada em sete dias, aponta para 2.087 vítimas diárias. Todos dias ainda, 71.872 novos casos são confirmados em média. Diante do colapso por falta de leitos, da propagação do vírus de forma desenfreada e da falta de adoção de medidas mais rígidas de isolamento social, já se aponta a tendência de piora para as próximas semanas no país.

Reprovação do presidente

A má gestão do governo federal, que contribuiu para este pior momento da crise sanitária, está diretamente relacionada à reprovação ao presidente Jair Bolsonaro. Segundo o Datafolha, a percepção de que a pandemia está fora de controle é mais alta entre os que rejeitam seu governo (94%). Assim como entre os que não confiam em suas declarações (93%). A observação também é maior entre as mulheres (85%) ante os homens (73%). A percepção de descontrole também é maior entre os mais pobres (82%) contra 69% da parcela de entrevistados ricos.

Ontem, levantamento do instituto mostrou que a reprovação a Bolsonaro também bateu níveis recordes, com 54% de rejeição. A pesquisa também identificou que 43% culpavam o presidente pelo agravamento da pandemia no Brasil.  

O percentual foi calculado com base nas entrevistas feitas por telefone com 2.023 pessoas em todos os estados do país, nos dois 15 e 16 março. A margem de erro é de dois pontos percentuais.