Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 09 / Pequena oscilação leva a empate técnico em MG, diz Datafolha

Pequena oscilação leva a empate técnico em MG, diz Datafolha

por João Peres, da RBA publicado , última modificação 11/09/2010 14h49

São Paulo - A subida de um ponto de Antonio Anastasia (PSDB), de 35% para 36%, e a queda de Hélio Costa (PMDB), de 40% para 39%, levaram a disputa eleitoral em Minas Gerais ao empate técnico. Como a margem de erro da pesquisa Datafolha divulgada neste sábado é de dois pontos para mais ou para menos, os dois dividem a liderança.

O levantamento confirma que a disputa estadual mineira se encaminha para ser uma das mais acirradas das atuais eleições. Há 15 dias, Anastasia havia conseguido forte crescimento graças, principalmente, ao apoio do ex-governador Aécio Neves. Costa, ao notar o acirramento da disputa, solicitou a presença do presidente Lula. O resultado é um quadro indefinido.

Os candidatos Edilson Nascimento (PT do B), Zé Fernando Aparecido (PV), Professor Luiz Carlos (PSOL), Vanessa Portugal (PSTU) e Fabinho (PCB) têm 1% cada. Brancos e nulos somam 5% e não sabem ou não responderam, 16%.

Senado

A disputa pelo Senado teve pouca variação. Aécio Neves (PSDB) continua com liderança tranquila, de 67% das intenções de voto - eram 64% no levantamento anterior. Itamar Franco (PSB) vem em segundo, com 42%, dois pontos a menos que o registrado no fim de agosto.

Fernando Pimentel (PT), ex-prefeito de Belo Horizonte, não conseguiu avançar: tinha 30% e agora ficou em 29%.

Marilda Ribeiro (PSOL), Zito Vieira (PCdoB) e Rafael Pimenta (PCB) vêm em seguida, com 3% das intenções de voto cada. José João da SIlva (PSTU), Miguel Martini (PHS), Betão (PCO),  Efraim Moura (PSTU) e Mineirinho (PSOL) têm 1% cada. 

Outros 13% afirmaram que votariam em branco ou anulariam o voto. O percentual dos eleitores que não sabem em quem votar para o Senado atingiu 35%. 

Foram ouvidos 1.685 eleitores nos dias 8 e 9 de setembro. A pesquisa foi registrada no Tribunal regional Eleitoral com o número 69732/2010.