Saúde e renda

Nordeste deve contratar costureiras e artesãos para produzir máscaras caseiras

Comitê Científico do Consórcio Nordeste defende uso de máscaras caseiras. Governos da região acionarão empreendedores para suprir necessidade da população

Reprodução/Twitter
Os governos do Nordeste vão incentivar a produção também para geração de renda

São Paulo – O Comitê Científico do Consórcio Nordeste divulgou hoje (8) nota em que recomenda o uso de máscaras caseiras pela população. A medida visa a reduzir a pressão no mercado sobre as descartáveis, cujo uso deve ser prioritário para profissionais de saúde.

A orientação segue diretrizes internacionais adotadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC), Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Os cientistas, porém, chamam atenção para o fato de que a adoção das máscaras não reduz a importância do distanciamento social. Esta é a principal ação a ser mantido como medida prioritária. Assim como a higienização correta das mãos com água e sabão e, quando necessário, o uso do álcool em gel.

Os membros do comitê sugeriram aos governadores da região a contratação de costureiras e artesãos. O Nordeste comporta condições de produzir máscaras caseiras em quantidade suficiente para suprir a necessidade da população. Nos próximos dias serão divulgadas as especificações técnicas, como tecidos mais adequados.

Também são sugeridos acordos com parques têxteis da região para a reorganização da linha de produção. A ideia é suprir a demanda por itens necessários para o combate do coronavírus pelos profissionais da área de saúde, como máscaras, aventais, entre outros.

Comitê científico

A medida de cunho científico, econômico e social visa também a geração de renda emergencial para as famílias nordestinas. É a tese defendida de que “a Ciência é um agente de mudança social e econômico, especialmente quando se luta em uma guerra contra um inimigo invisível e ainda muito desconhecido como o coronavírus.”

O Comitê Científico do Consórcio Nordeste é formado por cientistas, pesquisadores e médicos representantes dos nove estados, sob a coordenação do neurocientista Miguel Nicolelis e do físico e ex-ministro de Ciência e Tecnologia Sérgio Rezende.

Diariamente eles se reúnem no ambiente virtual para discutir a integração de esforços e diálogo entre os diversos canais envolvidos na luta contra a pandemia em todo o mundo, com soluções indicadas para os governadores dos nove estados que compõe o Consórcio.


Leia também


Últimas notícias