REAÇÃO

Partidos de oposição pedem cassação de Eduardo Bolsonaro ao Conselho de Ética da Câmara

PT, Psol, PCdoB e PDT protocolaram o pedido por conta das declarações do deputado em favor da edição de um novo AI-5 no país

divulgação / psol
“Nós do PT, PCdoB, Psol e PDT protocolamos no Conselho de Ética um pedido de cassação contra Eduardo Bolsonaro. O filho do presidente não pode atacar a democracia e sair impune”, disse o deputado Henrique Fontana (PT-RS)

São Paulo – Os partidos de oposição entraram hoje (5) com pedido de cassação do mandato de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no Conselho de Ética da Câmara. O pedido foi feito por conta das declarações do deputado à imprensa com ameaças à ordem democrática e fazendo apologia à ditadura civil-militar.

“Nós do PT, PCdoB, Psol e PDT protocolamos no Conselho de Ética um pedido de cassação contra Eduardo Bolsonaro. O filho do presidente não pode atacar a democracia e sair impune”, disse o deputado Henrique Fontana (PT-RS).

A ação foi motivada pelo vídeo que circula nas redes sociais, em que o deputado, filho do presidente Jair Bolsonaro, anuncia a possibilidade de “um novo AI-5” durante entrevista concedida à jornalista Leda Nagle. Na última terça-feira (29), o deputado já havia utilizado a tribuna da Câmara para dizer que caso a população brasileira vá às ruas, como tem acontecido em países como Chile e Equador, o governo Bolsonaro deve utilizar de autoritarismo, repressão e romper com a ordem democrática. “A história vai se repetir”, afirmou em seu discurso.

O Psol também apresentou notícia-crime ao Supremo Tribunal Federal (STF) para responsabilizar Eduardo Bolsonaro por suas declarações. PDT, PSB, PCdoB e PT subscrevem a ação. A notícia-crime foi apresentada em 31 de outubro. Na ocasião, o deputado Ivan Valente (Psol-SP) afirmou que “o AI-5 é a ruptura do Estado democrático de direito, e ele (Eduardo Bolsonaro) precisa responder por isso, porque é crime de responsabilidade contra a Constituição Federal.”