Home Política Partidos de oposição pedem cassação de Eduardo Bolsonaro ao Conselho de Ética da Câmara
REAÇÃO

Partidos de oposição pedem cassação de Eduardo Bolsonaro ao Conselho de Ética da Câmara

PT, Psol, PCdoB e PDT protocolaram o pedido por conta das declarações do deputado em favor da edição de um novo AI-5 no país
Publicado por Helder Lima, da RBA
19:13
Compartilhar:   
divulgação / psol

“Nós do PT, PCdoB, Psol e PDT protocolamos no Conselho de Ética um pedido de cassação contra Eduardo Bolsonaro. O filho do presidente não pode atacar a democracia e sair impune”, disse o deputado Henrique Fontana (PT-RS)

São Paulo – Os partidos de oposição entraram hoje (5) com pedido de cassação do mandato de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no Conselho de Ética da Câmara. O pedido foi feito por conta das declarações do deputado à imprensa com ameaças à ordem democrática e fazendo apologia à ditadura civil-militar.

“Nós do PT, PCdoB, Psol e PDT protocolamos no Conselho de Ética um pedido de cassação contra Eduardo Bolsonaro. O filho do presidente não pode atacar a democracia e sair impune”, disse o deputado Henrique Fontana (PT-RS).

A ação foi motivada pelo vídeo que circula nas redes sociais, em que o deputado, filho do presidente Jair Bolsonaro, anuncia a possibilidade de “um novo AI-5” durante entrevista concedida à jornalista Leda Nagle. Na última terça-feira (29), o deputado já havia utilizado a tribuna da Câmara para dizer que caso a população brasileira vá às ruas, como tem acontecido em países como Chile e Equador, o governo Bolsonaro deve utilizar de autoritarismo, repressão e romper com a ordem democrática. “A história vai se repetir”, afirmou em seu discurso.

O Psol também apresentou notícia-crime ao Supremo Tribunal Federal (STF) para responsabilizar Eduardo Bolsonaro por suas declarações. PDT, PSB, PCdoB e PT subscrevem a ação. A notícia-crime foi apresentada em 31 de outubro. Na ocasião, o deputado Ivan Valente (Psol-SP) afirmou que “o AI-5 é a ruptura do Estado democrático de direito, e ele (Eduardo Bolsonaro) precisa responder por isso, porque é crime de responsabilidade contra a Constituição Federal.”