#Lulalivre

‘Quero a liberdade a que tenho direito’, diz Lula

Pastor Ariovaldo Ramos, da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, conversou com ex-presidente nessa segunda (25) e condenou a cultura do ódio

TVT/Reprodução
Defesa Lula

Em conversa com pastor Ariovaldo Ramos, ex-presidente havia não reconhecer prisão domiciliar porque é inocente

São Paulo – “Não quero prisão domiciliar, mas a liberdade a que tenho direito.” Foi o que disse nesta segunda-feira (25) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao pastor Ariovaldo Ramos, da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, que o visitou em Curitiba. A afirmação faz referência a uma suposta discussão por parte do ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a concessão do cumprimento da pena em domicílio. A sentença contrapõe-se ao pedido feito pela defesa do ex-presidente, que reivindica a inconstitucionalidade de sua prisão.

Segundo o religioso, a conversa com Lula tratou de temas atuais, como o cenário político brasileiro. Ambos acreditam ser a cultura do ódio um dos principais fatores que explica a situação do país. 

“Não tem nenhuma explicação para este momento do Brasil a não ser o ódio ao pobre, ao negro, à mulher e à criança. Principalmente à criança que agora tem acesso à escola, e aos pobres que têm acesso à universidade”, analisou o pastor, que finalizou dizendo acreditar que verá o “triunfo do presidente”.

Assista à matéria completa: