Aos poucos

Vacinação contra covid-19 para idosos de 75 e 76 anos começa no dia 15 em São Paulo

Dados mostram que vacinação contra a covid-19 já reduziu mortes de idosos com mais de 90 anos. Ao mesmo tempo, São Paulo bateu recorde de mortes

GovSP
Vacinação contra a covid-19 teve início em 17 de janeiro e agora vão ser vacinados idosos com 75 e 76 anos

São Paulo – A vacinação contra a covid-19 para idosos com 75 e 76 anos terá início na próxima segunda-feira (15) em São Paulo, anunciou hoje (8) o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn. A população com essa idade deverá procurar a Unidade Básica de Saúde (UBC) mais próxima de sua residência, levando sempre RG, carteirinha do SUS e carteirinha de vacinação. O governo paulista também pede que seja feito antecipadamente o cadastro no site Vacina Já, para agilizar o processo na unidade de saúde. Gorinchteyn garantiu que vai haver vacina para todas as pessoas nessa faixa etária e não é necessário madrugar nas unidades de saúde.

“Pedimos às pessoas que não se desesperem em estar na segunda-feira (15), logo cedo, na unidade de saúde. Podem ir de tarde, podem ir no dia 16, no dia 17. É importante evitar que haja aglomerações também nos postos de vacinação”, explicou. Após a primeira dose, os idosos ainda não estarão protegidos e devem manter o isolamento, o uso de máscara, o distanciamento social e medidas de higiene. Apenas após a segunda dose, aplicada de 14 a 28 dias após a primeira, é que os idosos estarão protegidos contra a covid-19.

Segundo o governo paulista, o estado tem 420 mil pessoas com 75 ou 76 anos. No total, 3,2 milhões de pessoas já foram vacinadas. Atualmente, a campanha de vacinação contra a covid-19 tem foco nas pessoas com 77 anos ou mais. Hoje, o Instituto Butantan vai entregar ao Ministério da Saúde mais 1,7 milhão de doses da vacina contra a covid-19 CoronaVac. No total, o Butantan entregou 16,1 milhões de doses até agora.

Efeito da vacinação

Dados da prefeitura de São Paulo indicam que houve queda significativa nas internações e nas mortes de idosos com mais de 90 anos entre os meses de janeiro e fevereiro, período em que foi iniciada a vacinação contra a covid-19. Essa faixa etária foi a primeira a ser vacinada. O número de mortes pela covid-19 caiu 70% entre essa população. Já o número de internações caiu 57,7%. Os resultados são compatíveis com outros achados no estado de Pernambuco.

O infectologista Renato Kfouri, da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), avalia que ainda é cedo para conclusões, mas que são dados muito animadores e fortalecem a vacinação contra a covid-19. “São dados bastante preliminares e é preciso esperar os números de março e abril para que tenhamos uma conclusão efetiva. Mas se os números se mantiverem, é um resultado fantástico e confirma aquilo que a gente vem dizendo: a vacinação é boa e importante para a gente sair dessa pandemia”, disse, em entrevista ao portal G1.

Covid-19 se agrava em São Paulo

Dados divulgados por Gorinchteyn mostram que a pandemia de covid-19 segue se agravando em São Paulo. O número de novas internações segue batendo recordes e hoje há 19.049 pessoas internadas, sendo 10.622 em enfermarias e 8.427 em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). São os maiores números de toda a pandemia. Apenas na última semana o número de novas internações cresceu 19,8%. A taxa de ocupação de UTI está em 80% no estado e 81,2% na grande São Paulo.

São Paulo também bateu recorde de mortes por dia na última semana. Com média de 284 óbitos diários, o estado registrou 1.989 mortes em sete dias, o pior número de toda a pandemia. O número de novos casos de covid-19 registrados por dia voltou a subir, com a média diária superando os 10 mil casos por dia.

Na semana passada, Gorinchteyn anunciou a abertura de 500 novos leitos para atendimento de pacientes com covid-19, sendo 339 leitos de UTI e 161 de enfermaria. Hoje foi anunciada a abertura de 11 hospitais de campanha, com 280 leitos, sendo metade para UTI e metade para enfermaria.

Essas unidades serão abertas nos centros de Assistência Médica Especializada (AME) Santo André, Andradina, Santos, Barretos, Botucatu, Campinas, Ourinhos, Tupã e Itapetininga, além do Centro de Reabilitação Lucy Montoro, em Fernandópolis, e do Hospital São José, na capital paulista.


Leia também


Últimas notícias