fica em casa

São Paulo tem recorde de internações por covid-19 em um único dia: 2.255

No mesmo dia que o governo paulista decretou a fase vermelha da quarentena em todo o estado, São Paulo bateu recorde de internações por covid-19

Marcelo Casall Jr/ABR
Mortalidade por covid-19 em pacientes internados em UTI é alta e aumento de internações é prenúncio de uma tragédia

São Paulo – O estado de São Paulo teve recorde de internações por covid-19 nesta quarta-feira (3): foram 2.255 internações em um único dia, o maior número de toda pandemia. O recorde anterior era do dia 15 de julho de 2020, quando houve 2.201 internações. Já são 17.269 pessoas internadas, sendo 9.601 em enfermaria e 7.668 em unidades de terapia intensiva (UTI), também os maiores números desde o início da pandemia. Com isso, o estado chegou a 76,3% de ocupação de UTI e todas as regiões foram colocadas em fase vermelha da quarentena a partir da 0h do próximo sábado (6).

Dados do Boletim Coronavírus mostram aumento de 17% nas internações por covid-19 na última semana, em São Paulo, em uma sequência de aumentos diários que nunca foi vista em outro momento da pandemia. A média diária de internações passou de 1.445, em 16 de fevereiro, para 1.994 ontem. A Grande São Paulo teve 1.183 internações por covid-19 ontem, com aumento de 20,7% nos últimos sete dias, e chegou a 77,9% de ocupação de UTI. Na capital paulista o índice está em 79,1%.

Mantendo esses índices de internações por covdi-19, o sistema de saúde do estado de São Paulo pode colapsar em menos de duas semanas. A pior situação está nas regiões de Bauru, com 95,7% de ocupação de UTI, Araraquara, com 92,4%, Barretos (81,1%), Campinas (79,4%), Marília (81,6%), Presidente Prudente (90,9%), Ribeirão Preto (82,2%), São José do Rio Preto (83,7%) e Sorocaba (79,3%).

Picos de internações por covid-19 em São Paulo mostram a gravidade da situação atual

Fase vermelha

Com risco iminente de colapso na saúde, o governador paulista, João Doria (PSDB), decretou ontem (3) que todo o estado de São Paulo vai entrar na fase vermelha da quarentena a partir da 0h do próximo sábado (6). A medida vale até o dia 19 de março, quando o resultado será reavaliado.

Na fase vermelha, apenas os serviços essenciais podem funcionar, como supermercados, delivery, farmácias, hospitais e postos de combustíveis. Bares, restaurantes, academias, shoppings, comércio e serviços em geral parques e centros esportivos não podem abrir. No entanto, igrejas, campeonatos de futebol e as escolas permanecerão abertas, embora a presença dos estudantes não seja obrigatória. A decisão é contraditória, já que o aumento de internações bate com o período da volta às aulas.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchetyn, na última semana foram 100 novas internações em UTI por dia e, apenas ontem, houve 901 pedidos de internação no Centro de Regulação e Organização de Serviços de Saúde (Cross). Ele disse ainda que serão implementados 500 novos leitos de internação para pacientes com covid-19, sendo 339 em UTI e 161 em enfermaria.

O aumento das internações deve ter um impacto enorme na mortalidade por covid-19. Dados do projeto UTIs Brasileiras, da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), mostram que a mortalidade de pacientes com covid-19 em UTI é bastante alta. Entre 650 hospitais acompanhados pela pesquisa, dos quais 249 públicos e 401 privados, a mortalidade de pacientes com a infecção internados em UTI é, em média, de 33%. Dentre os que necessitaram de intubação, a taxa de mortalidade sobre para 66%. Entre pacientes que também necessitam de hemodiálise, a taxa atual é de 73%.

Na terça-feira (2), o estado registrou 468 mortes por covid-19, o maior número de toda a pandemia. Ontem foram 367 óbitos.


Leia também


Últimas notícias