Home Política Campanha arrecada recursos para documentário sobre atuação da mulher na política
vaquinha

Campanha arrecada recursos para documentário sobre atuação da mulher na política

Projeto pretende mostrar problemas de um sistema político em que 52% do eleitorado é feminino, mas poucas se candidatam e são eleitas
Publicado por Helder Lima, da RBA
15:54
Compartilhar:   
mídia ninja

Projeto está sendo definido, conforme as organizadoras, como um “grito de resistência e esperança em defesa da paridade de gênero e da promoção de mais mulheres na política”

Brasília – Termina na próxima segunda-feira (12) a campanha para arrecadação de fundos pela internet para o documentário intitulado Me Farei Ouvir, sobre a participação e representatividade das mulheres na política brasileira. O filme pretende mostrar as trajetórias das mulheres nas campanhas eleitorais e nos cargos de representatividade, sem qualquer recorte partidário e ideológico. Está sendo produzido por Bianca Novais, Flora Egécia, Dandara Lima e Bárbara Rodarte, quatro brasilienses que pretendem abordar questões como sub-representação, Lei de Cotas e urgência da paridade de gênero. Sobretudo, para servir de alerta nas eleições, a partir do próximo ano.

Programado para ser realizado de forma independente, o projeto está sendo definido, conforme as organizadoras, como  um “grito de resistência e esperança em defesa da paridade de gênero e da promoção de mais mulheres na política”.

O objetivo é promover um debate necessário no país: as mulheres representam hoje mais de 50% da população e consistem em 52% do eleitorado. No entanto, sua participação nas Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas e no Congresso Nacional, além dos cargos no Executivo, continua sendo muito pequena.

Para piorar ainda mais esse quadro, um projeto que conta com o aval do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) tem em suas entrelinhas a tentativa de reduzir ou acabar com a cota exigida aos partidos para candidaturas femininas dentro de uma nova reforma política.

Por ser uma iniciativa sem fins lucrativos e ou recursos públicos, as realizadoras estão com financiamento coletivo aberto até 12 de agosto. A ideia inicial, que era mostrar a dificuldade de as mulheres se elegerem, terminou sendo ampliada como forma de combater qualquer retrocesso na legislação sobre cotas para as candidaturas femininas.

O grupo destaca os dados atuais, que mostram que dentre os 513 membros da Câmara dos Deputados, só 77 são mulheres. Destas, apenas 13 são negras e só uma é indígena, números desproporcionais em relação ao universo feminino existente no país.

As responsáveis pelo projeto são Bianca Novais e Flora Egécia, do Estúdio Cajuína, e Dandara Lima e Bárbara Rodarte, da Düo Photo.Project. Bianca e Flora têm no currículo a realização de um financiamento coletivo de sucesso para o filme Das Raízes às Pontas (2015) – vencedor do júri popular do 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Já Dandara e Bárbara trazem a experiência de atuação em campanhas políticas desde 2012.

Além do currículo das próprias autoras, também chama a atenção o engajamento das madrinhas do filme. Uma lista formada por pessoas como a atriz e cantora Clarice Falcão, a escritora e ativista Nana Queiroz, a empresária e presidenta do Grupo de Mulheres do Brasil, Janete Vaz, a artista plástica Camila Soato e a cineasta e youtuber sobre maternidade Helen Ramos. Assim como organizações em defesa das mulheres como a União Brasileira de Mulheres (UBM), a ONG Artemis e o grupo de advogadas ativistas Themis também apoiam a iniciativa.

O orçamento para o filme está estipulado em R$ 87 mil. Se o valor não for alcançado até segunda-feira (12), os recursos doados serão devolvidos aos respectivos doadores. A participação de todos que puderem contribuir consiste numa importante ação de conscientização e alerta para esse quadro e para a melhoria da situação das mulheres no país.

Confira a campanha com a chamada para o projeto