Na ponta

Eleição presidencial no Peru: esquerda lidera e 2º lugar tem disputa acirrada

Professor Pedro Castillo, do bloco Peru Livre, está praticamente no segundo turno. Em apuração não oficial, Keiko Fujirmori vem em segundo lugar

Agência Peruana de Notícias
Professor de ensino básico, Pedro Castillo cresceu na reta final

São Paulo – Com pouco mais de 51% das urnas oficialmente apuradas, o candidato Pedro Castillo, do bloco de esquerda Peru Livre, lidera o primeiro turno da eleição presidencial do Peru com 16,2% dos votos válidos. A disputa por um lugar no segundo turno está entre Hernando de Soto (Avança País, ou Go on Country, com 13.56%), Rafael López Aliaga (Renovação Popular, 12.92%) e Keiko Fujimori (12.88%). Os número foram informados pelo Gabinete Nacional de Processos Eleitorais (ONPE). O Peru tem 33 milhões de habitantes e 25 milhões de aptos a votar. O voto é obrigatório e a participação está em torno de 73%.

Pedro Castillo tem 51 anos e é professor do ensino básico do país e considerado politicamente de esquerda, mas conservador em questões morais. É contrário, por exemplo, ao aborto e à união de pessoas do mesmo sexo. Sua liderança é apontada também pela consultoria Ipsos, que tem uma espécie de apuração paralela com 69% dos votos ainda não oficializados. Por essa conta, Castillo chegaria a 16,8% dos votos, enquanto o segundo lugar passa para Keiko Fujimori, com 14,5%. Ainda segundo a Ipsos, o candidato de extrema-direita Rafael Lopez Aliaga viria em terceiro com 11,9%, enquanto o economista de direita Hernando de Soto, em passaria para quarto, com, 10,8%

São dezoito os candidatos, maior número para uma eleição presidencial no Peru. Os peruanos também elegeram neste domingo (11) 130 parlamentares que compõem o Congresso, que é unicameral (não tem Senado). De acordo com a Ipsos, qualquer que seja o presidente eleito, ele terá dificuldades para formar uma base de apoio, já que nenhum deles vai para o segundo com votação expressiva. E também porque a composição do Congresso caminha uma para forte fragmentação, sem uma força hegemônica. A informação é do jornal Diario Correo.

Como estaria a composição do Congresso

Ação Popular 10,7%
Peru Livre 10,7%
Força Popular 9,5%
Renovação Popular 8,8%
Avança País 8,4%
Aliança para o Progresso 7,9%
Juntos pelo Peru 7,7%
Somos Peru 6,4%
Vitória Nacional 5,7%
Podemos Peru 5,6%
Partido Morado 5,4%

Partidos que não atingem 5% dos votos não podem compor o Congresso, e a soma de seus votos será distribuída proporcionalmente entre os qualificados para compor cadeiras no parlamento


Direitista Lasso vence eleição no Equador; Arauz reconhece derrota


Leia também


Últimas notícias