Home Mundo Rede com 68 mil contas falsas é usada para apoiar golpe na Bolívia
golpe arquitetado

Rede com 68 mil contas falsas é usada para apoiar golpe na Bolívia

Perfis também serviram para aumentar o número de seguidores dos principais opositores de Morales, Luis Fernando Camacho e a autoproclamada presidenta Jeanine Áñez
Publicado por Felipe Mascari
14:29
Compartilhar:   
AVN

A investigação do especialista mostra que, a partir do dia 10 de novembro, as contas falsas publicaram diversas hashtags para legitimar a saída de Evo Morales da presidência

São Paulo – Uma rede com mais de 68 mil contas falsas no Twitter foi criada para endossar o golpe civil-militar na Bolívia. O estudo foi apresentado por Júlian Macías Tovar, chefe de redes sociais do partido espanhol Podemos. Todas as contas impulsionaram o nome do líder opositor Luis Fernando Camacho.

A investigação do especialista mostra que, a partir do dia 10, as contas falsas publicaram diversas hashtags para legitimar a saída de Evo Morales da presidência, entre as quais a #BoliviaNoHayGolpe. Os perfis também apoiavam o uso da violência policial para reprimir manifestantes contrários ao golpe.

Além disso, as contas também serviram para aumentar o número de seguidores dos principais opositores de Morales: Luis Fernando Camacho e a senadora Jeanine Áñez, agora autoproclamada presidenta da Bolívia. A conta de Camacho passou, em 15 dias, de 2 mil seguidores para 130 mil seguidores, sendo 50 mil dos perfis criados em novembro.

O mesmo aumento é visto no perfil de Jeanine Áñez que, nesse período, passou de 8 mil seguidores para 150 mil seguidores – destas, 40 mil seriam contas tidas como falsas. Para se ter uma ideia, um levantamento feito por Rodrigo Quiroga, pesquisador da Universidade Nacional de Córdoba, mostra que entre as contas novas existem 601 seguidores chamados “alejand00816798”, apenas alterando a ordem dos algarismos.

Para Quiroga, pelo menos 73 mil seguidores de Camacho são bots ou contas falsas. “Possivelmente eles são mais. Por que eles querem dar a impressão de ter mais seguidores e mais impacto do que realmente têm?”, questiona o professor.

Na semana passada, Luciano Galup, especialista em comunicação política e diretor da consultoria Menta Comunicación, já havia denunciado a criação de uma rede de contas falsas para apoiar o golpe na Bolívia. Em um período de dois dias, foram criadas mais de 4.500 novas contas ativadas para impulsionar a hashtag #BoliviaNoHayGolpe.