conflito

Maduro rompe relações diplomáticas com a Colômbia e diz que derrotou golpe

'Trinta dias depois, o golpe de Estado fracassou. O derrotamos. Fracassaram. E o que vão fazer agora? Vão seguir jogando o jogo do intervencionismo', disse o presidente Venezuelano

avn
maduro fala em caracas em 23fev19 - foto avn.png

Maduro: ‘Decidi romper todo tipo de relações com o governo da Colômbia. Fora daqui, basta, já!’

Opera Mundi – O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse neste sábado (23) que a união entre o povo e as Forças Armadas derrotou o “golpe de Estado” planejado pelos Estados Unidos e pela oposição. Maduro também anunciou, durante discurso em Caracas, que a Venezuela vai romper todas as relações diplomáticas com a Colômbia.

“Trinta dias depois, o golpe de Estado fracassou. O derrotamos. Fracassaram. E o que vão fazer agora? Vão seguir jogando o jogo do intervencionismo. Hoje tentaram mais um show. O tempo de Deus é perfeito. Haverá justiça”, disse a apoiadores que se manifestaram em Caracas contra uma possível invasão do país.

No mês passado, o deputado opositor Juan Guaidó autoproclamou-se “presidente encarregado” da Venezuela, deixando de considerar Maduro o mandatário do país. Em pouco tempo, Estados Unidos, Colômbia, Brasil e outros países reconheceram Guaidó como chefe de Governo.

“Trinta dias depois, o que conseguiram? As eleições deveriam ser hoje, segundo manda a Constituição. Onde está a convocatória para as eleições presidenciais? Estamos esperando o palhaço de mil caras”, disse Maduro.

“Tomo as rédeas e vou seguir levando-as com a base constitucional. Governando de maneira democrática e constitucional para o bem-estar das maiorias. Seguirei à frente da pátria, cumprindo com a verdade da Venezuela”, afirmou.

Colômbia

Maduro também anunciou, durante o discurso, que a Venezuela vai romper todas as relações diplomáticas com a Colômbia. “Decidi romper todo tipo de relações com o governo da Colômbia. Fora daqui, basta, já! Peço a bênção do povo da Venezuela para conduzir com serenidade esta agressão que vem da Colômbia e seguir triunfando pela paz”, afirmou.

O venezuelano diz que o país não é formado por mendigos e que paga as ajudas humanitárias que recebe. “Para o Brasil, por exemplo, mandei uma mensagem. Estamos dispostos, como sempre, a comprar todo o arroz, todo o açúcar, todo o leite em pó e toda a carne que nos venda o Estado de Roraima. Tudo pagamos com dindin. Não somos mal pagadores. Somos gente honesta, de trabalho. Não somos mendigos.”

O presidente também jurou lealdade aos venezuelanos. “Nunca fui e nem nunca serei parte de uma oligarquia e posso dizer pelo meu sentimento chavista mais autêntico para o povo da Venezuela: contem com Nicolás Maduro, que será leal nessa batalha pela nossa dignidade”, disse. “Não é tempo de traidores, não é um tempo de traições, é um tempo de lealdade com a pátria e aos ideais supremos da Venezuela”.

Maduro diz que o presidente Donald Trump “odeia a Venezuela e os povos da América Latina”. “Na Venezuela, triunfará a paz com soberania. Estamos consolidando uma grande vitória este ano, o vejo com o povo. O ódio que despertou uma minoria é muito grande”, afirmou.

“Jamais me renderei, sempre defenderei nossa pátria. Digo a toda a FANB [Força Armada Nacional Bolivariana]: se, algum dia, amanhecem com a notícia de que fizeram algo com Nicolás Maduro, saiam às ruas, não duvidem nem por um segundo”, disse.