islamofobia

Seis morrem em atentado terrorista em mesquita no Canadá

Xenofobia pode ter sido instigada pelas ações do novo presidente norte-americano, Donald Trump, que proibiu a entrada de pessoas de sete países muçulmanos nos Estados Unidos

reprodução BBC
ataque em quebec.jpg

Policiais investigam a mesquita onde ocorreu o ataque: crime motivado por intolerância

Montreal – Entre 60 e 100 pessoas rezavam na mesquita do Centro Cultural Islâmico, na cidade de Quebec (Canadá), neste domingo (29), por volta das 19h45, quando dois atiradores entraram e dispararam contra os fiéis. Até agora, ao menos seis pessoas morreram e oito estão feridas, algumas delas em estado grave. Dois homens foram presos em seguida. O governo da província já se manifestou e afirmou que se trata de um ato de terrorismo.

A ação dos extremistas se deu poucos dias depois que o novo presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou que fecharia as portas dos Estados Unidos para pessoas vindas de sete países muçulmanos – Iêmen, Iraque, Irã, Líbia, Síria, Somália e Sudão. Sem comentar diretamente a decisão do presidente norte-americano, o primeiro ministro canadense Justin Trudeau afirmou em sua conta no Twitter: “Aqueles que fogem da perseguição, do terror e da guerra, saibam que o Canadá os acolherá independentemente da sua fé”. E completou: “A diversidade é a nossa força. Bem-vindos ao Canadá”.

Em seguida ao atentado na capital da província quebequense, Trudeau manifestou solidariedade à comunidade muçulmana. “Esta noite, os canadenses choram pelas vítimas do ataque covarde em uma mesquita de Quebec. Meus pensamentos estão com as vítimas e seus familiares”, escreveu em sua conta do Twitter. O primeiro-ministro quebequense Phillippe Couillard também se manifestou e afirmou que “hoje o Quebec sofre com o terrorismo”. “Nós estamos com vocês. Vocês estão em casa. Vocês são bem-vindos à sua casa. Nós somos todos quebequenses”, disse.

Prece noturna

O atentado aconteceu durante a prece noturna, que é realizada diariamente às 19h30 na mesquita. Os policiais foram chamados às 19h55 no bairro Sainte-Foy, na capital da província do Quebec e, segundo o Serviço de Polícia da Cidade do Quebec (SPVQ, da sigla em francês), seis pessoas de 35 a 70 anos foram mortas e oito estão feridas.

Quando a notícia do atentado se espalhou, grupos criaram eventos de solidariedade no Facebook, manifestações de apoio e contra a xenofobia e a islamofobia nas cidades do Quebec, Montreal e Sanguenay, todas na província quebequense. Nesta segunda-feira, às 18h, será realizada vigília em solidariedade aos muçulmanos de Quebec em Montreal. Até esta manhã, mais de 42 mil pessoas haviam sido convidadas, 14 mil tinham interesse e mais de 10 mil confirmaram a presença na manifestação que será realizada na saída do metrô do Parc, no bairro de Parc-Extension, onde há uma grande comunidade muçulmana.

O atentado deste domingo não é a primeira ação de ódio sofrida pelo Centro Cultural Islâmico da Cidade do Quebec. Em junho do ano passado, foi deixada na porta da instituição uma cabeça de porco embrulhada para presente com um bilhete dizendo “Bom apetite”. Segundo o alcorão, a carne do animal não deve ser consumida pelos muçulmanos.