protesto

Estudantes do Chile voltam às ruas por educação pública gratuita

Professores e outras categorias devem se juntar ao ato que ocorre hoje na capital Santiago e nas grandes cidades

Brasília – Manifestantes preparam para hoje (13) um protesto contra o governo chileno e em favor do ensino superior público gratuito. O protesto é liderado pela Confederação dos Estudantes Universitários do Chile (Confech), Assembleia Coordenadora de Estudantes Secundaristas (Aces), Coordenação Nacional de Estudantes Secundaristas (Cones) e Coordenação de Pais e Responsáveis pelo Direito da Educação (Corpade).

O movimento estudantil informou, por meio de comunicado, que ocorrerão manifestações em Santiago, a capital do Chile, e nas principais cidades do país. O presidente da Federação dos Estudantes da Universidade Católica (FEUC), Diego Vela, disse que, em decorrência dos protestos, têm se intensificado as discussões e os debates sobre o ensino público gratuito superior no país.

O presidente da Confech, Andrés Fielbaum, disse que o protesto, que une estudantes, professores e várias categorias profissionais, têm o objetivo de reivindicar direitos. Na tentativa de dirimir os confrontos com a polícia, registrados nos últimos protestos, a confederação solicitou autorização para as manifestações.

Nos últimos meses, são frequentes os protestos em favor do ensino superior gratuito no Chile. No país, o ensino superior é privado, não há instituições públicas.

Leia também

Últimas notícias