Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2011 / 10 / Na Turquia, Dilma defende reformas de instituições financeiras internacionais

Na Turquia, Dilma defende reformas de instituições financeiras internacionais

por Yara Aquino e Renata Giraldi publicado 07/10/2011 12h13, última modificação 07/10/2011 12h13

Dilma vai ao Memorial Ataturk, em Ancara, na Turquia (Foto: ©Roberto Stuckert Filho/PR)

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff defendeu nesta sexta-feira (7), em Ancara, na Turquia, que brasileiros e turcos se unam em favor de reformas de instituições financeiras e econômicas internacionais. Ela se referiu ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e reclamou dos efeitos das decisões de alguns países por meio da valorização artificial de suas moedas. Para a presidenta, as articulações devem ocorrer já em novembro, durante as reuniões do G20 (que engloba as 20 maiores economias do mundo), em Cannes, na França.

"O Brasil e a Turquia podem contribuir no G20, por exemplo, para o prosseguimento das reformas nas instituições econômicas e financeiras internacionais, aumentando a participação de nossos países nas decisões que afetam diretamente nossos povos", disse a presidenta, no Fórum Empresarial Brasil-Turquia.

Segundo Dilma, Brasil e Turquia sofrem com as políticas monetárias expansivas do mundo desenvolvido. "Como países emergentes, somos afetados pelas políticas de reação dos países desenvolvidos à crise, notadamente à expansão monetária, praticada por alguns bancos centrais, que levam a uma espécie de guerra cambial. Isso compromete os valores das nossas mercadorias", disse.

Em seguida, a presidenta acrescentou que essas “políticas monetárias excessivamente expansionistas têm sido remédio privilegiado que as economias mais desenvolvidas têm buscado nos últimos tempos e têm como efeito secundário a valorização artificial” de moedas.

A presidenta lembrou também que na última década o comércio entre a Turquia e o Brasil triplicou de 2009 para 2010. Em maio do ano passado, os dois países adotaram o Plano de Ação para Parceria Estratégica, que envolve iniciativas nas áreas de energia, defesa, cooperação agrícola, ciência e tecnologia e promoção cultural.

O governo turco anunciou a visita de uma missão de empresários da construção civil ao Brasil para o próximo mês. A presidenta convidou os empresários turcos do setor a participarem das obras de infraestrutura da Copa do Mundo de 2014.

No primeiro dia de agenda oficial em Ancara, Dilma se reuniu com o presidente turco, Abdullah Gul, e o primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan. Antes do fórum, a presidenta visitou o Memorial Ataturk, onde participou de cerimônia de deposição de flores em homenagem ao líder Mustafa Kemal Ataturk. Ela registrou em livro uma mensagem ao líder considerado pai da Turquia moderna.

Fonte: Agência Brasil, com BBC e Planalto

registrado em: , , , ,