Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2010 / 11 / Obama convoca reunião com democratas e republicanos

Obama convoca reunião com democratas e republicanos

por BBC Brasil publicado 05/11/2010 10h50, última modificação 05/11/2010 10h55

John Boehner, líder do Partido Republicano e presidente eleito da Câmara (Foto: Jonathan Ernst/Reuters)

Brasília - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, marcou uma reunião para o próximo dia 18 com John Boehner, líder do Partido Republicano, que é de oposição e agora maioria. Também participarão a atual presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, e os líderes dos partidos Democrata e Republicano no Senado, Harry Reid (democrata) e Mitch McConnell (republicano). A ideia é buscar definições sobre cortes de impostos e benefícios para desempregados.

“Eu quero conversar bastante com eles sobre como podemos avançar nos temas que interessam aos americanos”, disse Obama. “Não vai ser apenas uma oportunidade de foto”, completou. Pelo resultado das eleições, os republicanos terão 239 cadeiras na Câmara, e os democratas ficarão com 185. No Senado, o Partido Republicano terá 46 assentos enquanto o Partido Democrata ficará com 51 lugares.

Na reunião do dia 18, Obama deverá tratar de medidas econômicas, cortes de impostos e benefícios para desempregados, temas sobre os quais os dois partidos têm posições divergentes. Segundo o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, após a reunião de trabalho, o presidente e os líderes congressistas participarão de um jantar.

O convite foi feito nesta quinta (4) por Obama depois de ele se reunir com representantes dos republicanos e democratas, após o resultado das eleições parlamentares que registrou uma perda história para o governo do Partido Democrata.

Com a perda da maioria democrata, o presidente terá mais dificuldade em aprovar propostas e também em resistir às investidas republicanas para reverter algumas de suas políticas, como as reformas da saúde e do setor financeiro.

Antes mesmo de assumir a presidência da Câmara, Boehner já avisou que seu partido pretende desfazer a reforma da saúde – considerada o projeto mais importante aprovado nos dois primeiros anos do governo Obama.

Ontem, em entrevista coletiva, Obama assumiu sua responsabilidade pela derrota dos democratas na Câmara e pelo que definiu como uma “profunda frustração” dos americanos com o ritmo lento da recuperação econômica do país.

Até lá, o Congresso entra no período chamado nos Estados Unidos de lame duck (“pato manco”, em tradução livre), ou seja, quando novos parlamentares já foram eleitos, mas ainda não assumiram seus mandatos. Obama disse que, até janeiro, é crucial criar uma “relação de trabalho melhor” entre a Casa Branca e os novos líderes no Congresso.

registrado em: ,