Posição histórica

Times da NBA boicotam semifinais após mais um caso de racismo da polícia dos EUA

Outras partidas da NBA devem sofrer boicote pelos atletas. Toronto Raptors e Boston Celtics, jogam o primeiro duelo da semifinal da Conferência Leste, na próxima nesta quinta-feira (27), mas cogitam não entrar em quadra

INSTAGRAM/BUCKS
O armador do Bucks George Hill chegou ao ginásio com a camiseta 'Mude a narrativa' e disse que não haver clima para jogar

São Paulo – O jogo da principal liga mundial de basquete masculino entre Milwaukee Bucks e Orlando Magic, que seria disputado nesta quarta-feira (26) foi adiado, após as equipes da NBA promoverem um protesto, motivado por mais um caso de racismo policial nos Estados Unidos.

No último domingo (23), Jacob Blake levou sete tiros pelas costas, disparados por policiais brancos, na cidade de Kenosha, em Wisconsin, estado do time de Milwaukee. Blake está em estado grave e corre risco de morrer.

De acordo com o jornalista norte-americano Adrian Wojnarowski, da ESPN, os Bucks decidiram não ir à quadra para o duelo. Uma vitória no confronto daria a classificação à equipe nos próximos playoffs – a série de jogos que, ao final, decide o campeão do torneio.

Ao jornalista Tim Bontempos, também da ESPN, o armador do Bucks, George Hill, disse que não há clima para a continuidade do torneio. “Não podemos fazer nada. Em primeiro lugar, nem deveríamos ter vindo a este maldito lugar, para ser honesto. Acho que vir aqui tirou todos os pontos focais de quais são os problemas.”

Boicote na NBA

Ainda nesta quarta-feira, às 19h30, Houston Rockets e Oklahoma City Thunder disputaram a última partida das quartas-de-final, mas também confirmaram que não subirão à quadra como protesto.  

Outras partidas da NBA devem sofrer boicote pelos atletas. Toronto Raptors e Boston Celtics, jogam o primeiro duelo da semifinal da Conferência Leste, na próxima nesta quinta-feira (27), mas cogitam não entrar em quadra.

LeBron James, astro da NBA e atleta do Los Angeles Lakers, também se manifestou contra a violência policial. “Exigimos mudança. Estou cansado disso”, publicou no Twitter. Seu time enfrentaria o Portland Trail Blazers, na próxima sexta-feira (28), mas também cogita aderir ao boicote.

Os jogadores da NBA estão engajados na luta antirracista nos Estados Unidos, intensificadas desde a morte de George Floyd, brutalmente assassinado por um policial, em março. Alguns se negaram até a jogar a reta final do campeonato, em Orlando, como o armador Kyrie Irving, do Brooklyn Nets.