da melhor qualidade

TVT exibe sessões especiais de filmes de diretores baianos

A partir deste sábado (9), a TVT exibe a Sessão Cinemateca da Bahia, com filmes que semanalmente tratarão de 12 temas diferentes. O da estreia é “saudade”

©reprodução
Série de filmes de cineastas baianos, começa com o tema "saudade", e abre mostrando a vida do pesquisador sonoro e construtor de instrumentos Walter Smetak

São Paulo – A Rede TVT estreia, a partir das 21h deste sábado (9), a série especial Sessão Cinemateca da Bahia. A iniciativa é resultado da parceria da emissora com a TVE-Bahia e a Diretoria de Audiovisual da Fundação Cultural daquele estado. Serão apresentados filmes de cineastas baianos divididos em 12 temas, sempre aos sábados.

A programação dá uma amostra da diversidade da produção cinematográfica do estado, terra de nomes importantes do audiovisual brasileiro, como Glauber Rocha, Monique Gardenberg e, mais recentemente, Wagner Moura, entre outros .

A seleção e curadoria é pensada em torno de 12 temas centrais, chamados de programas: saudade, amizade, persistência, surpresa, pertencimento, resiliência, ardor, esperança, desencanto, comunhão, inspiração e afeto.

Neste primeiro programa, a saudade foi o tema escolhido e será “representada” por dois filmes. O primeiro é O Alquimista do Som, de Walter Lima (1976), que conta parte da vida e da obra do músico, construtor de instrumentos e pesquisador Walter Smetak. O segundo filme da noite é O Cinema foi à Feira, de Paulo Hermida (2017), que trata da carreira de Roberto Pires, um dos pioneiros do cinema brasileiro produzido nos anos 1950.

Próximos capítulos

No sábado da próxima semana (16), a programação da Sessão Cinemateca da Bahia tratará do tema “amizade”, dessa vez com uma única obra, Um filme para Michal, de Violeta Martinez (2013).

No dia 23, é a vez da “persistência” com: Do que Aprendi com Minhas Mais Velhas, de Susan Kalik e Onisajé (2017); O Papel da Mulher em Candomblés de Vitória da Conquista, de Eliana Souza, Lucélia Ribeiro (2016); e Merê, de Urania Munzanzu (2017) .

No dia 30, fechando o mês, será tratado o tema “surpresa”, com apresentação de Confronto Casual, de Marcus Barbosa (2016); O Fantasma de Glauber Rocha, de L.H. Girarde (2019); Sensações Contrárias, de Amadeu Alban, Jorge Alencar, Matheus Rocha (2007); O Rei do Cagaço, de Edgard Navarro (1977); e Sair do Armário, de Marina Pontes (2018).

A programação de filmes de cineastas baianos entra pelo mês de junho. A Rede Brasil Atual trará o roteiro completo.

tvt
A seleção e curadoria é pensada em torno da divisão de afetos, como temas centrais das obras