Home Cultura Tradução de ‘Guerras Híbridas’ será lançada em Belo Horizonte dia 18
geopolítica

Tradução de ‘Guerras Híbridas’ será lançada em Belo Horizonte dia 18

Livro articula conceitos de “revolução colorida” e “guerras não-convencionais” para explicar o que são guerras híbridas
Publicado por Helder Lima, da RBA
09:53
Compartilhar:   
reprodução

Ilustração de capa: autor caracteriza um novo padrão de atuação do imperialismo estadunidense, que tenta a todo momento depor governantes não alinhados e substituir regimes políticos

BdF – A editora Expressão Popular completa 20 anos com centenas de publicações de destaque no pensamento crítico brasileiro e internacional, difundidas de maneira acessível aos trabalhadores. Por ocasião desse momento importante, em 2019, a editora traduziu para o português o livro Guerras Híbridas – das revoluções coloridas aos golpes, do russo Andrew Korybko. No dia 18 de setembro, a tradução será lançada em Belo Horizonte. O evento é fruto de uma parceria entre a Expressão Popular, diversas entidades da Frente Brasil Popular, o Projeto Brasil Cidades e o Indisciplinar, grupo de pesquisas da Faculdade de Arquitetura da UFMG.

“O objetivo maior da criação dessa editora foi auxiliar na formação política. Então, esse evento do dia 18 é um esquenta das comemorações por ocasião dos 20 anos da editora. Depois, entre os dias 7 e 12 de outubro, vamos fazer várias ações nacionais para fomentar o debate. Nesse sentido, o livro Guerras Híbridas é muito importante porque nos ajuda a compreender nossa conjuntura, a realidade de hoje”, afirma o professor Wilson Ferreira, da Editora Expressão Popular.

O livro

O livro foi publicado em 2015. A obra parte do estudo dos recentes golpes na Síria e Ucrânia, impetrados pelos Estados Unidos com adesão de atores do Oriente Médio e Europa Oriental. Com base na compreensão desses dois casos e de uma farta documentação, o autor passa a caracterizar um novo padrão de atuação do imperialismo estadunidense, que tenta a todo momento depor governantes não alinhados e substituir regimes políticos na Eurásia, com vistas a inviabilizar a ascensão de Rússia, China e Irã.

Na epígrafe, Korybko cita um antigo estrategista chinês Sun Tzu, segundo o qual “o mérito supremo consiste em quebrar a resistência do inimigo sem lutar”. Nessa chave, o império ianque desenvolveria a arte de uma guerra mais eficaz e menos onerosa, econômica, política e socialmente para os Estados Unidos. Para tanto, busca desestabilizar regimes com o engajamento de atores locais e regionais, manipulando e mobilizando atores políticos civis por meio das redes sociais, provocando protestos rotulados como pacíficos, articulando grupos paramilitares e, enfim, perpetrando golpes de Estado com a aparência de mudanças legítimas, supostamente condizentes com a vontade das populações locais.

O fundamental na guerra híbrida é explorar diferenças socioeconômicas, étnicas e geográficas, em países estratégicos do ponto de vista da geopolítica. Isso é feito, segundo o autor, articulando mecanismos de “revolução colorida” com “guerras não-convencionais”, os dois conceitos chaves para entender a teoria das guerras híbridas. Em 2018, em entrevista ao portal Tutameia, Andrew Korybko disse que há uma intensa guerra híbrida sendo travada no Brasil e que um de seus instrumentos é a Operação Lava Jato.

O lançamento

No dia 18 de setembro, às 19h, será realizado o lançamento do livro na Faculdade de Arquitetura da UFMG. Na ocasião, haverá um debate, tendo à mesa a pesquisadora Ana Penido, do Instituto Tricontinental, o professor Juarez Guimarães, do Centro de Estudos Republicanos Brasileiros, e o militante do movimento Levante Popular da Juventude, Artur Colito. As inscrições podem ser feitas pela internet. Os 50 primeiros inscritos serão presenteados com um exemplar do livro.

Endereço: Rua Paraíba, 697. B. Funcionários, BH

Link para inscrição: tinyurl.com/y2h4s3lq

Informações: (31) 9 8414-8686