Home Cidadania USP realiza simpósio sobre as marcas deixadas pelo AI-5 na produção artística
memória

USP realiza simpósio sobre as marcas deixadas pelo AI-5 na produção artística

Evento se inicia nesta quarta-feira (28) e vai até sexta (30), na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Publicado por Redação RBA
10:52
Compartilhar:   
Memorial da Democracia
Estudantes da USP durante a ditadura

Emitido pelo general Artur da Costa e Silva em dezembro de 1968, AI-5 irá completar 50 anos

São Paulo – Para relembrar e debater os 50 anos do Ato Institucional nº 5 (AI-5), baixado durante o governo do general Artur da Costa e Silva, em dezembro de 1968, tem início nesta quarta-feira (28) um simpósio na Universidade de São Paulo (USP). Até a próxima sexta (30), serão discutidas as marcas daquele período nos dias atuais, principalmente na produção artística.

Na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, a primeira mesa de debates se reúne às 14h, abordando aspectos da cultura brasileira com a presença de Priscila Loyde Gomes Figueiredo e Thiago dos Santos Martiniuk, ambos professores de Literatura Brasileira na USP. 

“Do período, restam uma série de marcas deixadas na sociedade brasileira, que foram apreendidas pela produção cultural nacional. Marcas que podem ser vistas nos romances, nos poemas, nas canções, nos filmes, nas peças de teatro, nas obras de artes visuais, na produção ensaística e em outros elementos que compõem nossa cultura”, explica o texto de apresentação do evento.

Ainda hoje, às 16h15, a segunda mesa tratará do tema “Cultura e Política, 1964-1969”, com os professores João Oliveira Pace, Gabriel Gimenes de Godoy e Edu Teruki Otsuka.

O evento organizado pelos alunos Programa de Pós-gradução em Teoria Literária e Literatura Comparada (DTLLC) ainda tratará do teatro brasileiro sob a repressão da ditadura civil-militar e as canções brasileiras que retratavam o período.

Outras três mesas estão previstas para a sexta, dia de encerramento. Às 10h, um debate sobre as artes visuais no Brasil e a o movimento do romance brasileiro. Por fim, será tratado o tema “O que 68 tem a dizer sobre nós?”, com a professora e doutora em Letras Ivone Daré Rabello e o filósofo Paulo Arantes.

Confira os horários e as salas da mesa no evento.