Você está aqui: Página Inicial / Política / 2018 / 04 / Moro determina prisão e pede que Lula se apresente até as 17h desta sexta

Perseguição

Moro determina prisão e pede que Lula se apresente até as 17h desta sexta

Depois de negar possibilidade de prisão de imediato, TRF4 envia ofício à vara de Sérgio Moro autorizando-o a executar cumprimento da pena
por Redação RBA publicado 05/04/2018 18h23, última modificação 05/04/2018 19h45
Depois de negar possibilidade de prisão de imediato, TRF4 envia ofício à vara de Sérgio Moro autorizando-o a executar cumprimento da pena
Ricardo Stuckert
Lula

Decisão do STF na noite de ontem intensifica guerra judicial para tirar Lula na disputa eleitoral em 2018

São Paulo – O juiz federal Sérgio Moro determinou na tarde desta quinta-feira (5) a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão foi tomada imediatamente após Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), que fixou pena de 12 anos e 1 mês de prisão a Lula, emitir ofício dando como encerradas possibilidades de recursos da defesa.

Movimentos sociais e partidos de esquerda convocaram uma vigília em apoio a Lula no Sindicato dos Metalúrgicos dos ABC agora à noite. Parlamentares reagiram com perplexidade e classificaram o gesto de Moro como "covardia".

Moro fixou prazo até as 17h desta sexta-feira (6) para o petista se apresentar voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba. "Relativamente ao condenado e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, concedo-lhe, em atenção à dignidade do cargo que ocupou, a oportunidade de apresentar-se voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba até as 17:00 do dia 06/04/2018, quando deverá ser cumprido o mandado de prisão", diz o despacho.

A defesa foi orientada a discutir com o delegado da Polícia Federal Maurício Valeixo, também superintendente da Polícia Federal (PF) no Paraná, os termos da apresentação. O juiz também vedou o uso de algemas "em qualquer hipótese".

A determinação especifica ainda ter sido reservada "uma espécie de Sala de Estado Maior, na própria Superintendência da Polícia Federal", para o início do cumprimento da pena. Lula ficará separado dos demais presos, "sem qualquer risco para a integridade moral ou física", diz o despacho.

A informação foi publicada nos principais portais de notícias pouco depois de o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, afirmar que ainda não haveria possibilidade de prisão de imediato, uma vez que a defesa teria prazo até a próxima terça-feira (10) para apresentar novo embargo ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

Hoje pela manhã, o próprio presidente do TRF4, Carlos Eduardo Thompson Flores, deu essa informação à Rádio Bandeirantes. No decorrer do dia, porém, o tribunal emitiu este ofício:

 

Na sequência, Moro emitiu o seguinte despacho:

Conteúdo
Arquivo PDF document oficiomoro.pdf