Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2011 / 11 / Corte britânica decide extraditar fundador do WikiLeaks

Corte britânica decide extraditar fundador do WikiLeaks

por Michael Holden publicado , última modificação 02/11/2011 10h55

Londres - O fundador do WikiLeaks Julian Assange pode ser extraditado da Grã-Bretanha para a Suécia por conta da alegação de crimes sexuais, decidiu a Alta Corte de Londres nesta quarta-feira (2), rejeitando o apelo de Assange contra a ação.

Autoridades suecas querem questionar o homem de 40 anos sobre acusações de estupro e violência sexual contra duas ex-voluntárias do WikiLeaks.O advogado de Assange disse que estava considerando uma apelação. Ele tem duas semanas para fazer isso.

O site de denúncias de Assange causou alvoroço no ano passado ao publicar mais de 250 mil arquivos secretos dos Estados Unidos.

Um juiz britânico havia aprovado o primeiro pedido da Suécia para a extradição de Assange, perito em informática, em fevereiro. Os advogados do acusado afirmam que o pedido da Suécia é legalmente falho e que o sexo havia sido consensual. Assange, que está livre sob fiança, também acusou os Estados Unidos de pressionar a Grã-Bretanha, Suécia e a mídia.

No mês passado, Assange, que é cidadão australiano, disse que o WikiLeaks iria parar de publicar correspondências secretas e dedicar-se à angariação de recursos por conta de um bloqueio financeiro nos pagamentos para o site por empresas norte-americanas como Visa e Mastercard. Ele disse que se o bloqueio não acabasse até o final do ano, o WikiLeaks poderia não ter condições de continuar.

© 2011 THOMSON REUTERS. ALL RIGHTS RESERVED