Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2017 / 01 / Casa do coletivo Fora do Eixo e Mídia Ninja do Amapá é atacada pela PM

repressão

Casa do coletivo Fora do Eixo e Mídia Ninja do Amapá é atacada pela PM

por Redação RBA publicado 09/01/2017 16h12, última modificação 09/01/2017 16h17
Mídia NINJA
fora_do_eixo_invasao_policial_ap.jpg

Instrumentos musicais e bens pessoais de ativistas da Casa Fora do Eixo Amapá, após invasão da PM

São Paulo – A Casa Fora do Eixo Amapá, centro de ativismo e cultura em Macapá e sede da Mídia Ninja no estado, foi atacada por forças policiais durante a noite de ontem (8) durante a realização do projeto Domingo na Casa, evento cultural já conhecido da cidade. De acordo com a página do coletivo no Facebook, o público do evento e os moradores da Casa passaram por momentos de terror, com a invasão do espaço por diversos soldados fora do horário de serviço e também homens fardados que apontaram armas, gritaram, agrediram pessoas com socos e chutes e verbalmente, sem medida legal, mandado de busca ou prerrogativa jurídica para a ação.

O motivo alegado para a truculência da PM foi ter sido acionada para conter uma suposta "perturbação do sossego público". A casa e todos seus cômodos foram revistados minuciosamente, dos quartos ao porão, e nada foi encontrado.

Um participante do evento foi detido, assim como o músico, articulador do Fora do Eixo no Amapá e produtor cultural, Otto Ramos. Ambos foram conduzidos ao Centro Integrado de Operações e Segurança Pública (Ciosp) e permaneceram detidos em celas, seminus, por mais de uma hora, até a chegada do delegado para colher os depoimentos.

O coletivo afirma que denúncias contra os envolvidos pela invasão e agressões serão formalizadas "dentro dos marcos da lei".

"Passadas as horas de terror, seguiremos firmes com nossas atividades culturais no Amapá: realizaremos o projeto Zanketeiros do Trem, com o Fineias Nelutty, continuaremos produzindo material audiovisual sobre a Cultura Indígena do Amapá – Palikur e Galibi Marworno, vamos manter o Domingo na Casa, vamos realizar o Grito Rock 2017 e vamos fazer mais uma grande edição do Festival Quebramar", garantem os ativistas.

A nota diz ainda: "A onda conservadora que assola o Brasil e o mundo autoriza a violência e normaliza casos como esses, em que a Polícia se sente no direito de invadir um espaço de resistência e atacar pessoas sem se preocupar com as consequências (...) Continuaremos na luta contra o autoritarismo, o abuso de poder e a força das armas. O Fora do Eixo e a Mídia Ninja reforçam seus valores pacíficos, a importância das ações culturais e engrossa o coro pela desmilitarização da polícia brasileira, uma das que mais mata e morre no mundo. Não vão nos intimidar".