Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2009 / 06 / Lançamento do Instituto Vladimir Herzog reúne lideranças da luta por direitos humanos

Lançamento do Instituto Vladimir Herzog reúne lideranças da luta por direitos humanos

Preservação da memória e dos ideias do jornalista cuja morte pela ditadura virou símbolo da luta por direitos é objetivo do Instituto
por Rodrigo Rodrigues, Jornal Brasil Atual publicado 26/06/2009 09h48, última modificação 26/06/2009 09h50
Preservação da memória e dos ideias do jornalista cuja morte pela ditadura virou símbolo da luta por direitos é objetivo do Instituto

Ao som de Geraldo Vandré, centenas de pessoas acompanharam nesta quinta-feira na Cinemateca Brasileira o lançamento oficial do Instituto Vladimir Herzog. Criado por parentes e amigos do jornalista morto pela Ditadura Militar em 75, a entidade nasce para preservar a memória de Vlado e contribuir para o respeito aos Direitos Humanos no país.

"A preservação da memória não é a preservação do que foi o Vlado, porque ele foi o símbolo de um momento, de um contexto histórico", explica a viúva do jornalista, Clarice Herzog. "Então, é preservar esse contexto, discutir o contexto, não deixar que uma página de nossa história seja virada. Não é trabalhar a morte do Vlado, mas sua vida, o que ele acreditava, os ideais, para o jornalismo participativo e cidadão, que fala e ouve a sociedade, que vai para a rua", lembra.

Para o ministro da Secretarira Especial dos Direitos Humanos Paulo Vanuchi, o instituto vai contribuir para a consolidação do jornalismo cidadão no país. "O Instituto Vladimir Herzog será um espaço de aulas, de apresentação de trabalhos, de filmes, produção de livros, pesquisas, para que a nova geração conheça o episódio e, na figura do Vlado, aprenda a fazer bom jornalismo para que a imprensa siga desempenhando o seu papel na democracia, que é o de consolidar, divulgar e disseminar os valores de respeito aos direitos humanos"

O instituto também vai coordenar a entrega do Trigésimo Primeiro Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos, que desde 79 premia os melhores trabalhos jornalísticos na área. Segundo o jornalista Sérgio Gomes, um dos idealizadores do instituto, a partir de agora o prêmio vai nortear as novas gerações na construção do jornalismo de qualidade.

"O jornalista que apresentar uma matéria para concorrer, ele deve mandar junto circunstanciado o making off contando como a ideia surgiu, como foi elaborado etc. para que, na hipótese de essa matéria ser premiada e colocada na internet, do lado teria essa aula sobre como aquele produto se realizou"

Quem quiser conhecer um pouco mais das memórias de Vlado, basta acessar o site: www.vladimirherzog.com.br. A sede da entidade está localizada na Rua Bela Cintra, número 409.