Home Trabalho Rota 2030: metalúrgicos aprovam emendas sobre qualificação profissional
mais abrangente

Rota 2030: metalúrgicos aprovam emendas sobre qualificação profissional

Modificações em relação ao texto original contemplam interesses da categoria e ajudam a melhorar projeto considerado 'incompleto' pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Publicado por Redação RBA
13:03
Compartilhar:   
EBC
Setor automotivo

Metalúrgicos do ABC também defendem a inclusão das ferramentarias para o fortalecimento da indústria

São Paulo – A Medida Provisória (MP) 843, que cria o Programa Rota 2030, foi aprovada nessa quinta-feira (8) pelo Senado. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SMABC), o resultado final do projeto é considerado incompleto e aquém das necessidades da indústria automotiva brasileira, ainda que emendas parlamentares tenham contemplado parte dos interesses dos trabalhadores.

Apesar de o programa incentivar a pesquisa e o desenvolvimento do setor, os metalúrgicos acreditam que ele não pode ser considerado uma política industrial. De acordo com a entidade, não há políticas tarifárias que incentivam a produção nacional, que estavam presentes no Inovar-Auto – substituído pelo atual programa.

“O Rota 2030 ficou incompleto, pois não zela pelo emprego. Ele não estabelece proteção efetiva nem mesmo em relação ao volume de componentes importados nos veículos produzidos no Brasil. A MP aprovada também não atende os pleitos de fortalecimento da cadeia produtiva e, por ter validade de 15 anos, deveria ser muito mais estruturante”, criticam os trabalhadores por meio de nota.

Diretor executivo do SMABC e responsável por políticas industriais, Wellington Messias Damasceno, que acompanhou as discussões, explica o que o programa só teve itens voltados para o trabalhador por conta de duas emendas parlamentares apresentadas pelo deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP).

“É positivo ter um programa de incentivo no setor automotivo. Ontem, na Câmara, aprovamos duas emendas também positivas: uma inclui no programa a manutenção e ampliação do nível de emprego. A outra, sobre a qualificação e formação profissional dos trabalhadores. Os funcionários precisavam estar incluídos nesse processo de benefício às montadoras”, conta.

Damasceno ainda destacou o empenho do Sindicato para garantir emendas dentro do Rota 2030 e o fortalecimento do setor metalúrgico para o desenvolvimento da região, com mais investimentos e criação de empregos. “O setor metalúrgico na nossa região é forte. Você traz previsibilidade para as empresas fazerem investimento, ou seja, incluindo a nossa região”, afirma.

Wellington Damasceno também ressaltou que os metalúrgicos do ABC pautaram no programa a criação do Observatório das Indústrias, com o objetivo de fiscalizar se os investimentos em pesquisa e desenvolvimento no setor serão, de fato, realizados.

Ouça a reportagem de Cosmo Silva, da Rádio Brasil Atual: