nos limites

Capital paulista tem mais de 1.900 internados em UTI por covid-19. Governo Covas registra 587

Prefeitura registra 61% de ocupação de UTI para covid-19, mas só conta internados em leitos municipais. Com rede estadual e privada, ocupação é de 66,8%

Rovena Rosa/EBC

São Paulo – O número de pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) com covid-19 em São Paulo é maior do que o registrado pelo governo do prefeito Bruno Covas (PSDB). Dados do Sistema de Monitoramento Inteligente (Simi), do governo estadual, indicam que a ocupação de UTI na capital ficou em 66,8% ontem (15), com média diária de 1.943 pessoas internadas nos últimos sete dias. Mas o Boletim Diário Covid-19 da prefeitura de São Paulo mostra ocupação de 61%, com 587 pessoas internadas. Isso ocorre porque a prefeitura contabiliza apenas a ocupação de UTI em hospitais da rede municipal e os contratados pelo município junto à rede privada. O que empurra a taxa de ocupação para baixo.

Nos dados do Simi estão contabilizados todos os pacientes internados em UTI para atendimento de casos de covid-19 na capital paulista, sejam municipais, estaduais, filantrópicos ou privados. Com isso a taxa muda significativamente. Pelos dados do Simi, a taxa de ocupação de UTI na capital é a maior desde 20 de julho, quando ficou em 66,9%. No entanto, naquele momento havia mais leitos destinados a internação de pacientes com covid-19.

Nos próximos dias, o governo estadual vai inserir mais 2 mil leitos de UTI para atendimento de casos graves de infecção pelo novo coronavírus, o que deve alterar todas as atuais taxas de ocupação de leitos.

Levantamento do telejornal SPTV, da Rede Globo, mostra que vários hospitais municipais da capital paulista já estão com a ocupação de UTI no limite. O Hospital Municipal (HM) Gilson de Cássia Marques de Carvalho, na zona sul, tem 88% de ocupação. O HM Santa Marcelina, na zona leste, 86%. O HM Bela Vista, na região central, tem 84%.

Hospitais estaduais que ficam na capital têm situação semelhante. O Hospital Geral de Guaianases e o Hospital de Sapopemba, ambos na zona leste, têm 100% de ocupação. O Complexo Hospitalar do Mandaqui, na Zona Norte, está com 80% de ocupação.

Ontem (15), em todo o estado de São Paulo, havia 11.204 pessoas internadas com covid-19, sendo 6.345 em enfermaria e 4.859 em UTI. A taxa de ocupação de UTI ficou em 60,2%, maior número desde 5 de agosto, com média diária de 1.445 novas internações. O número de novas internações sobe continuamente desde 7 de novembro. A média móvel de mortes no estado de São Paulo está em 143 mortes por dia. Há 14 dias, em 2 de dezembro, era de 122. Um aumento de 17,25%. A média móvel de novos casos está em 6.375 por dia. Há duas semanas, era de 4.994 novos casos por dia.

Na Grande São Paulo, a ocupação de UTI chegou a 65,8%, com média diária de 831 novas internações. Número que vem crescendo continuamente desde 6 de novembro. A média diária de novos casos está em 2.576. Há 14 dias, era de 2.255 novos casos por dia. A média de mortes por dia chegou a 78. Há duas semanas, era de 69 mortes por dia.

Até as 19h de hoje (16), o governo de São Paulo não tinha atualizado os dados no Boletim Coronavírus.