Caso único

País que não acredita na ciência, Brasil se aproxima de 145 mil mortos por covid-19

Pesquisa da organização norte-americana Pew Research Center comprova que brasileiros são dos piores exemplos de conduta em relação ao combate à covid-19 no mundo

IRR/Fiocruz Minas
Entre os maiores problemas logísticos relacionados às vacinas está a questão das baixas temperaturas, necessárias para a manutenção da eficácia no transporte até o paciente final

São Paulo – A covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, provocou mais 718 mortes no Brasil nas últimas 24 horas. Desde o início do surto no país, em março, são 144.680 vítimas, de acordo com boletim do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), divulgado no início da noite desta quinta-feira (1º). O número de novos casos no período foi de 37.016, totalizando 4.847.092 infectados.

O Brasil é o terceiro país mais afetado pela infecção no mundo, atrás de Estados Unidos e Índia. Além disso, é o segundo com maior número de mortos por covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos. Isso, sem contar com a ampla subnotificação, reconhecida por autoridades e denunciada por cientistas. Menos de 9% da população brasileira já passou por algum tipo de testagem do sorotipo.

Os números de hoje voltam a se inserir na média de cerca de 800 vítimas diárias registradas nas últimas três semanas, depois de Brasil volta a registrar mais de mil mortos em 24h pela covid-19. Nas 12 semanas anteriores, o Brasil perdeu mais de mil vidas a cada 24 horas e registrou mais de 40 mil novos casos a cada dia.

A pandemia não se comporta da mesma forma em todo o país. A redução das últimas semanas foi influenciada fortemente pela redução nos números de São Paulo. O estado mais afetado pela covid-19 apresenta 10 semanas de recuo em mortes e novos casos. Entretanto, a pandemia avança em outros locais, como o Rio de Janeiro, mesmo testando abaixo da média brasileira, e Casos de covid-19 cresceram cerca de 50% em Manaus nas últimas duas semanas da doença, com 50% de aumento nos casos nas últimas duas semanas.

Descaso com a ciência

O Brasil é um dos piores exemplos em relação ao combate à covid-19 no mundo e um dos países em que sua população menos acredita na ciência, como mostra pesquisa realizada pela Pew Research Center, norte-americana.

Parte da pesquisa da Pew Research Center mostra descrédito dos brasileiros pela ciência (reprodução)

Os números deixam claro que o pensamento anticientífico do presidente Jair Bolsonaro é imitado por grande parcela da sociedade brasileira, o que contribui decisivamente para a situação de calamidade sanitária.

Epidemiologista cobra independência da Fiocruz sobre dados da covid-19

Com posturas assim, o Brasil tornou-se um caso único no mundo. O levantamento da Pew mostra que o país é dos que menos nutre confiança em seus cientistas e que menos acreditam que o trabalho dos cientistas é relevante..

Apenas 8% dos brasileiros acreditam que a qualidade das pesquisas científicas nacionais possa estar acima da média mundial e apenas 6% confiam que a medicina do país possa superar o padrão global. No entanto, não faltam bons resultados dos pesquisadores brasileiros. Instituições como a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Butantan são destaque em epidemiologia no mundo, por exemplo.

Covid-19: mundo passa de 1 milhão de mortos, e 15% são do Brasil

Edição: Fábio M. Michel