Direito à alimentação

‘Não podemos naturalizar a fome’, afirma Lula em pronunciamento. Acompanhe

Em pronunciamento nesta sexta-feira, Dia Mundial da Alimentação, ex-presidente Lula fala sobre a volta da fome no país e critica o governo Bolsonaro

Reprodução
Lula fez hoje pronunciamento pelo Dia Mundial da Alimentação

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva faz nesta sexta-feira (16) um novo pronunciamento, contra a volta da fome no país, às 10h30. Na data em que marca o Dia Mundial da Alimentação, Lula vai falar ao Brasil sobre a volta de um problema que já é sentido por milhões de brasileiros. Lula deve fazer críticas ao governo Bolsonaro e ao desmonte de políticas sociais no país.

A fome voltou ao país nos últimos anos. Sobre a fome, Lula vai dizer que não devemos naturalizar esse processo. Segundo o IBGE, em 2017/2018, 85 milhões de brasileiros habitavam em domicílios com algum grau de insegurança alimentar e nutricional, dos quais 10 milhões sofriam de Insegurança Alimentar Grave (IAG).

“IAG é a expressão da fome vivenciada no domicílio, que corresponde a uma ruptura nos padrões de alimentação resultante da falta de alimentos entre todos os moradores, incluindo as crianças”, afirma Nathalie Beghin, coordenadora da assessoria política do Inesc e ex-conselheira do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea).

Entre 2004 e 2013, o número de pessoas em IAG caiu pela metade, passando de 14,9 milhões para 7,2 milhões no período. Contudo, a partir de 2013, a situação vem piorando e em 2017/2018 o número de pessoas com fome aumentou para 10,2 milhões.

Acompanhe o pronunciamento de Lula:


Leia também


Últimas notícias