racismo

Weintraub vai à Polícia Federal e entrega depoimento por escrito

Ministro da Educação ficou cerca de 20 minutos na PF´, que apura suposto crime de racismo que ele teria praticado contra os chineses

Marcelo Camargo/ABR
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi demitido após 14 meses no governo

São Paulo – Esperado na tarde de hoje (4) na sede da Polícia Federal em Brasília para depor no inquérito que apura suposto crime de racismo contra os chineses, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, levou seu depoimento por escrito. A abertura da investigação foi determinada no final de abril pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF).

No início daquele mês, Weintraub atacou os chineses por meio de uma postagem xenófoba publicada no Twitter. Na publicação, apagada devido à repercussão negativa, o ministro reproduziu foto de capa de um gibi especial da Turma da Mônica na China e escreveu que o país deveria sair “relativamente fortalecido” da crise do coronavírus e que isso condiz com os planos do país de “dominar o mundo”.

E imitando o jeito de falar do personagem Cebolinha, que troca o som da letra R pelo do L, aproveitava para ridicularizar a maneira pela qual muitos chineses falam em português.

Em seu perfil no Twitter, o ministro afirmou “ter prestado depoimento à PF, em respeito à Polícia”. Disse que foi bem recebido pelo diretor-geral e toda sua equipem, e agradeceu a seus apoiadores.

É grande a expectativa em relação ao inquérito, que poderia justificar à queda do ministro da Educação. Para analistas, a demissão de Weintraub seria uma maneira de Jair Bolsonaro apaziguar os ânimos com o Supremo.

Confira a postagem considerada ofensiva aos chineses:


Leia também


Últimas notícias