Home Política Danny Glover alerta para risco que Bolsonaro representa à democracia
Eleições 2018

Danny Glover alerta para risco que Bolsonaro representa à democracia

Em vídeo divulgado pelo senador democrata Bernie Sanders, ator norte-americano fala da situação do Brasil desde o impeachment de Dilma Rousseff até a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva
Publicado por Redação RBA
17:51
Compartilhar:   
Reprodução/TVT
Danny Glover

“Temos que fazer algo a respeito”, diz o ator Danny Glover, em referência aos riscos contra a democracia no país

São Paulo — O ator norte-americano Danny Glover publicou, ontem (1º), vídeo em tom de alerta para a comunidade internacional sobre o risco que a democracia brasileira corre nas eleições de 2018. O conteúdo, idealizado pelo senador Bernie Sanders, um dos líderes do Partido Democrata dos Estados Unidos, explica os aspectos que envolvem a prisão arbitrária do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o impedimento de sua candidatura à Presidência da República, e como esse contexto pode culminar na eleição de um fascista de extrema-direita.

Segundo Danny Glover, a ameaça que paira sobre o Brasil é resultado da insatisfação de uma parte da sociedade com as políticas públicas desenvolvidas ao longo dos governos petistas. No vídeo, ele relembra conquistas obtidas nos governos do PT, como a redução da pobreza, e a política de cooperação com outros países latino-americanos. O ator explica que após quatro vitórias eleitorais consecutivas, a direita do país se aproveitou da recessão de 2015 para tirar Dilma Rousseff da Presidência.

“Eles não tinham um crime de verdade, ela foi acusada de pedaladas, que todos os outros presidentes já haviam feito”, afirma. Danny Glover ainda enfatiza os métodos utilizados por um sistema judicial partidarizado para condenar e prender Lula, num processo marcado pela ausência de provas.

Essa ideia é endossada por Mark Weisbrot, diretor do Centro de Pesquisas Políticas e Econômicas, que no vídeo ainda destaca a grande possibilidade que Lula teria de ser eleito se não tivesse sua candidatura impedida pela justiça. “É uma eleição incomum, antes de tudo, porque o candidato mais popular está preso, e todas as pesquisas apontavam que ele venceria as eleições”, afirma.

Weisbrot explica que, com Lula fora da disputa, um candidato conhecido por suas ideias racistas e misóginas tornou-se o líder das pesquisas de intenção de voto. “A imprensa o compara com Trump, mas para ser justo, essa comparação é injusta com o Trump”, diz ele.

Ao final, Glover pondera que o ambiente golpista não é exclusividade do Brasil, e que outros governos de esquerda da região também estão sendo perseguidos. “Temos que fazer algo a respeito, e ao mesmo tempo compreendemos que isso não diz respeito só ao Brasil. [A democracia] está ameaçada em outros países. A questão é: porque aconteceu com todos os governos que lançaram políticas voltadas aos mais pobres, indígenas?”, questiona o ator norte-americano.

Assista ao vídeo na íntegra: