Home Política Manuela: ‘Quem votou a favor da PEC dos gastos não é parceiro das mulheres’
no Rio Grande do Sul

Manuela: ‘Quem votou a favor da PEC dos gastos não é parceiro das mulheres’

Na cidade de Canoas, a vice na chapa de Fernando Haddad questionou candidatos que dizem defender as mulheres em campanhas eleitorais. 'Para nós, não adianta papinho que defende mulher na televisão'
Publicado por Redação RBA
18:00
Compartilhar:   
Reprodução
Manuela

“Ser parceiro das mulheres não é fazer coraçãozinho e dizer que gosta da gente”, disse candidata no RS

São Paulo – Em discurso em Canoas (RS), Manuela D’Ávila (PCdoB), candidata a vice presidente da República na chapa encabeçada por Fernando Haddad (PT), afirmou que nem todos os candidatos que dizem defender as mulheres são sinceros. “Para nós, não adianta papinho que defende mulher na televisão. Vamos começar essa conversa falando assim: é a favor da revogação da reforma trabalhista? Porque quem paga mais caro quando não tem direito ao trabalho são as mulheres. Não defende a revogação da reforma trabalhista, votou a favor dela?! Não é nosso parceiro”, disse.

“É a favor da revogação da PEC do teto dos gastos?”, continuou. “Se votou a favor, é contra mais creches, contra mais escolas e contra a saúde pública. Então não é parceiro das mulheres. Ser parceiro das mulheres não é fazer coraçãozinho e dizer que gosta da gente. Ser parceiro é lutar por um Brasil e um Rio Grande desenvolvido, com educação, saúde pública e emprego pra nossa gente.”

Ela falou ao lado de Haddad, Miguel Rossetto (PT), candidato ao governo gaúcho, e Paulo Paim, que disputa uma vaga no Senado.

Segundo Manuela, “não é justo que as mulheres e mães do nosso estado vejam as escolas das comunidades mais pobres sendo fechadas e os salários não sendo pagos em dia”. “Nós, o estado de Brizola, queremos um Estado que fecha escola como acontece hoje em dia?”  

A candidata pediu a militantes e movimentos sociais que, nos dias que faltam para a eleição, no dia 7 de outubro, conversem “com tranquilidade e paz” com pessoas da família, parentes e amigos nas comunidades. “Nós somos a turma da esperança, do diálogo, que venceu o medo e vai vencer o ódio. Vamos acabar com o ódio!”

Para ela, “talvez o desafio dos próximos dez dias esteja entre os maiores desafios das nossas vidas”.