Você está aqui: Página Inicial / Esportes / 2010 / 10 / Lula lança programa que garante R$ 365 mi de incentivo a atletas até 2014

Lula lança programa que garante R$ 365 mi de incentivo a atletas até 2014

por João Peres, da RBA publicado 18/10/2010 19h25, última modificação 18/10/2010 19h30

Presidente Lula e o presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, em cerimônia de lançamento do Programa Petrobras Esporte & Cidadania (Foto: Ricardo Stuckert/PR)

São Paulo – O governo federal lançou nesta segunda-feira (19) um programa de incentivo de longo prazo ao esporte. A parceria entre o Ministério do Esporte e a Petrobras prevê que a estatal destine, até 2014, R$ 265 milhões a diversas modalidades por meio de investimentos diretos e pela Lei de Incentivo ao Esporte.

“O programa vai preparar nossos atletas para o Rio e para depois. Bom desempenho no Rio é nossa obrigação. É nossa casa. Mas tão importante quanto isso é ter um bom desempenho depois. Não é apenas chegar à elite do esporte mundial, mas se manter lá”, destacou o ministro do Esporte, Orlando Silva, em solenidade que contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva – que não discursou.

O Programa Petrobras Esporte & Cidadania é dividido em quatro frentes. As duas principais colocam em pé de igualdade duas frentes do esporte que sempre foram vistos como polos opostos: o de alto rendimento e o educacional. No caso do primeiro, foram selecionadas cinco modalidades: boxe, esgrima, remo, taekwondo e levantamento de peso. O segundo visa à universalização do acesso ao esporte, numa tentativa de inclusão social.

As confederações de cada modalidade incluída no programa Esporte de Rendimento indicarão os atletas de maior destaque, que passarão a receber incentivos, num primeiro momento, de olho no Pan-Americano de 2011 e na Olimpíada de 2012. No entanto, o foco real do projeto são os Jogos de 2016, que serão realizados no Rio de Janeiro.

O programa, visto pelo governo como maior iniciativa de apoio ao esporte no país, nasceu após reuniões entre atletas, o ministério e a Petrobras, que entende que tem condições de colaborar não apenas com o incentivo financeiro, mas com a experiência que a estatal desenvolveu no incentivo a outras áreas, em especial a cultura. “Penso que isso pode ajudar na estruturação de projetos, na organização de idéias que existam pelo país. Sabemos que é um projeto inicial, mas que vai dar frutos a longo prazo”, destacou o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli.

Diogo da Silva, atleta do taekwondo, medalha de ouro no Pan-Americano de 2007, lembrou que mesmo os atletas de “reputação” não conseguem viver exclusivamente do esporte no Brasil. Além do apoio financeiro, os esportistas selecionados passam a contar com uma comissão técnica profissional, com equipe médica, transporte e alimentação. “Dessa forma a gente pode nos organizar, nos programar para os Jogos Olímpicos”, afirmou o atleta.

Em outras duas frentes, o programa focará o incentivo à realização de competições esportivas de diversas modalidades e a preservação da memória esportiva por meio de documentários.