EDUCAÇÃO SOB ATAQUE

UNE diz que fala de Weintraub sobre erros no Enem é ‘irresponsabilidade’

Ministro da Educação admite falha na contagem de pontos, mas minimiza problema. Estudantes querem investigação

reprodução
Weintraub (à dir.) transmitiu vídeo ao lado do presidente do Inep neste sábado, admitiu a falha, mas minimizou o problema

São Paulo – A União Nacional dos Estudantes (UNE) classificou como uma “irresponsabilidade” a manifestação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que por meio das redes sociais admitiu, neste sábado (18), que houve erros na contagem de pontos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

No vídeo que postou no Twitter ao lado do presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Alexandre Lopes, o ministro minimizou o problema, dizendo que uma parcela muito pequena dos estudantes foi prejudicada.

Na sequência, o jornal O Globo informou que segundo o presidente do Inep, até 30 mil candidatos podem ter sido prejudicados com a falha na contagem de pontos do Enem. É um número que representa perto de 1% dos 3,9 milhões de candidatos.

“É uma irresponsabilidade o ministro afirmar que são problemas isolados. Isso é muito grave e já identificamos centenas de estudantes com discrepâncias muito grandes nas notas. É preciso investigar com precisão e levar a sério esse erro!”, destacou a UNE em sua página no Twitter.

O presidente da entidade que representa os estudantes, Iago Montalvão, se manifestou contra a falta de qualidade da gestão do Inep no governo Bolsonaro. “Importante lembrar que só em 2019 o presidente do Inep foi trocado três vezes pelo ministro da Educação, e com ele outros membros da equipe. Por mais que eles tentem esconder, é inegável que isso impacta na condução do Enem, que é complexo e importante. Que haja investigação”, defendeu.

O assunto repercutiu nas redes sociais com a hashtag #erronoenem. Alguns estudantes se manifestaram em defesa da recontagem dos pontos de todos os exames. Isso porque existe um critério de avaliação de resultados, chamado de Teoria de Resposta ao Item (TRI), que faz a comparação do desempenho entre as provas diferentes, além do simples número de acertos. E se 30 mil provas estão afetadas, o resultado de TRI também estaria.

 

Leia também

Últimas notícias