Mercado de trabalho

Taxa de desemprego fica estável na Grande São Paulo

Segundo pesquisa, número um pouco menor de desempregados não se deve ao aumento de vagas, mas à saída de pessoas do mercado

Reprodução
desemprego

Dieese e Seade estimam número de desempregados na região em 1,910 milhão

São Paulo – A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo ficou praticamente estável de agosto para setembro, passando de 17,4% para 17,3%, segundo pesquisa da Fundação Seade e do Dieese. As entidades estimam em 1,910 milhão o número de desempregados. São 13 mil a menos no mês, basicamente devido à saída de pessoas do mercado (menos 12 mil), que praticamente não abriu vagas (mil).

Na comparação com setembro de 2018, a taxa também caiu – foi de 17,8% há um ano. Mas essa redução não se deu por crescimento do emprego. Foi novamente pela saída de pessoas da força de trabalho: com 126 mil a menos na população economicamente ativa e 48 mil a menos entre os ocupados, o total de desempregados caiu em 78 mil.

O desemprego aumenta na chamada sub-região leste, que abrange municípios como Mogi das Cruzes, Guarulhos, Suzano e Poá, atingindo 19,9%. Fica também acima da média na sub-região sudeste, onde se localiza o Grande ABC (18,8%). E cai para 15,9% na capital.

De julho para agosto (nesse item, é sempre considerado o mês anterior), o rendimento médio dos ocupados variou 0,8%, para R$ 2.061. Em relação a agosto do ano passado, a pesquisa apura retração de 4%.