Home Cultura No aniversário da cidade, Centro Cultural São Paulo recebe ‘abraço’ contra privatização
resistência

No aniversário da cidade, Centro Cultural São Paulo recebe ‘abraço’ contra privatização

Ato terá concentração a partir de meio-dia. Bibliotecários e servidores públicos afirmam que privatização pode precarizar condições de trabalho, serviços oferecidos e dependências do Centro Cultural
Publicado por Redação RBA
16:29
Compartilhar:   
João Mussolin/CCSP
centro cultural sp.jpg

Privatização pode afetar negativamente todas as biblioteca do CCSP, inclusive a de referência em braile

São Paulo – Bibliotecários e outros servidores públicos realizam amanhã (25) ato contra a gestão do prefeito João Doria, que pretende privatizar as bibliotecas públicas da cidade de São Paulo. O ato será marcado por um “abraço” simbólico ao Centro Cultural São Paulo (CCSP), localizado na região central. A concentração está marcada para as 12h e o início do ato, para as 13h.

A manifestação é contra a declaração do secretário de Cultura de Doria, André Sturm, que no último dia 5 afirmou que o CCSP e as 52 bibliotecas de capital nos bairros passarão para a administração de organizações sociais (OS). Os trabalhadores do sistema de bibliotecas municipais defendem que a privatização traz riscos de precarização das condições de trabalho e dos serviços oferecidos, além de dependência cultural.

Na página do evento no Facebook, 6.400 pessoas demonstraram interesse em participar do ato. “Precisamos sim de novos profissionais concursados, de mais editais de apoio à cultura, de formação continuada para os profissionais que já trabalham no setor. Mas a cultura é e precisa continuar sendo pública em constante diálogo governo-sociedade civil”, protestam os profissionais prejudicados com a nova gestão.

A rede de bibliotecas municipais em São Paulo, considerada a maior da América Latina, é composta por 107 equipamentos, entre eles, as 52 bibliotecas de bairro e o Centro Cultural São Paulo, que conta com uma biblioteca referência em braile, discoteca e hemeroteca, além de biblioteca central. Todas correm o risco de serem privatizadas. De acordo com organizadores do evento, entre janeiro e junho de 2016 o sistema atendeu 518.496 pessoas, com 316.731 empréstimos num acervo de 2.473.823 materiais.