Home Cultura Exposição resgata patrimônio linguístico indígena da América Latina
Memória

Exposição resgata patrimônio linguístico indígena da América Latina

Em cartaz no Oi Futuro Flamengo (RJ),'O Papagaio de Humboldt' apresenta instalação sonora com línguas indígenas em risco de extinção
Publicado por Redação RBA
11:55
Compartilhar:   
Divulgação
Diversidade

Objetivo da mostra é chamar a atenção para a diversidade cultural e linguística que o continente possui

A América Latina concentra 10% das línguas faladas no mundo. Ao todo, são quase 600 idiomas, cerca de 160 deles só no Brasil. Parece muito, mas calcula-se que mais de 85% das línguas indígenas que existiam em 1500 já foram extintas. No Chile, por exemplo, o idioma yámana da Terra do Fogo tem apenas uma falante: Cristina Calderón, nascida na década de 1930 em Puerto Willians.

O registro de sua fala, feito pelo artista Rainer Krause, é uma das obras que fazem parte da exposição O Papagaio de Humboldt, em cartaz até 29 de março no espaço Oi Futuro Flamengo, no Rio de Janeiro. A mostra, idealizada pelo Instituto Goethe com curadoria do alemão Alfons Hugh, reúne 15 artistas com obras que resgatam idiomas indígenas em risco de extinção.

A exposição se inspira no mito do papagaio que o explorador e naturalista alemão Alexander von Humboldt adquiriu na tribo caribe, na selva venezuelana do Orinoco pelos idos de 1800. A ave não falava o idioma da tribo que o vendeu, mas a de outra que já não existia. A história estimulou o curador a procurar artistas que se identificavam com o tema para reunir uma amostra da diversidade linguística presente em várias regiões da América Latina e Central.

A seleção das línguas, feita pelos próprios artistas, levou em conta não apenas a importância histórica e cultural das etnias para os países, mas também seu grau de ameaça de extinção e seu “apelo estético”. Fazem parte da exposição línguas de tribos do Brasil, Uruguai, da Argentina, Bolívia, Venezuela, Colômbia, do Chile, Peru, Paraguai, Equador, Panamá, da Guatemala, Costa Rica e de Nicarágua.

Propositalmente, a sala da exposição não tem muitos apelos visuais. Isso faz com que o visitante preste mais atenção aos sons que emanam do ambiente. Ao entrar, ele ouve uma espécie de murmúrio composto por várias vozes. Ao se aproximar dos auto-falantes, é possível distinguir cada uma das línguas. Há alguns painéis que apresentam textos com o conteúdo das falas e o desenvolvimento histórico de cada idioma.

A intenção da mostra é chamar a atenção para a riqueza que o continente possui no que diz respeito à diversidade cultural e linguística, um patrimônio que é preciso preservar.

O Papagaio de Humboldt
Quando: até 29 de março
De terça a domingo, das 11h às 20h
Onde: Oi Futuro Flamengo, níveis 2, 4, 5 e vitrais
Rua 2 de Dezembro, 63, Flamento, Rio de Janeiro (RJ)
Quanto: grátis
Classificação: livre
Mais informações: www.oifuturo.org.br