Iniciativa popular

No Rio, Marcha das Mulheres Negras reivindica representação política

Entre bandeiras pelo fim da violência e por maior representação, manifestantes também pediram apoio à candidatura de Conceição Evaristo na Academia Brasileira de Letras

TVT/Reprodução
Marcha das Mulheres Negras RJ

Se eleita, a escritora Conceição Evaristo será a primeira mulher negra a ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Letras

São Paulo – O Dia da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha foi celebrado neste domingo (29), no Rio de Janeiro, com a Marcha das Mulheres Negras, que ocupou a orla da zona sul da cidade. Nesta quarta edição do ato promovido pelo Fórum Estadual de Mulheres Negras RJ, militantes da causa uniram-se “pela vida do povo negro: mais mulheres negras no poder”, e relembraram a luta antirracial.

Sob cantos de valorização da cultura afro e com cartazes que pediam o fim da violência, as mulheres também homenagearam a vereadora do Psol Marielle Franco e pediram apoio à candidatura da escritora e professora universitária Conceição Evaristo, que pleiteia a cadeira 7 da Academia Brasileira de Letras (ABL).

No último dia (18), a escritora oficializou sua participação por meio de uma carta de autoapresentação, em que declara seu desejo de ocupar a vaga de Nelson Pereira dos Santos, morto em abril. Em apoio a Conceição, o grupo Diálogos Insubmissos criou uma petição online que já ultrapassa 20 mil assinaturas. Se escolhida, a escritora será a primeira mulher negra representada na instituição.

Assista à reportagem de Rosangela Fernandes: