Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2018 / 07 / Em defesa dos bancos e empresas públicas, trabalhadores fazem atos pelo país

Convocação

Em defesa dos bancos e empresas públicas, trabalhadores fazem atos pelo país

Mobilização em São Paulo contra as ações privatistas do governo Temer está marcada para as 11h, na Praça da Sé
por Redação RBA publicado 05/07/2018 10h13, última modificação 05/07/2018 10h32
Mobilização em São Paulo contra as ações privatistas do governo Temer está marcada para as 11h, na Praça da Sé
Divulgação Contraf-CUT/Reprodução
Contra privatização

Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas criado em 2016 pela luta contra o PL 555/2015, convoca ato contra privatização

São Paulo – Em defesa das empresas públicas e contra as medidas de privatização e sucateamento do patrimônio nacional promovidas pelo governo de Michel Temer, trabalhadores de várias categorias saem às ruas, a partir das 11h desta quinta-feira (5). Os atos foram organizados pelas representações que integram o Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, como as centrais CUT, CTB, Intersindical e UGT, além de entidades como a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a Fenae (de empregados da Caixa), Anabb (funcionários do Banco do Brasil) e outras. Na pauta principal, a venda dos bancos públicos para setores privados.

Na semana passada, liminar concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), em ação movida por Fenae e Contraf-CUT, proibindo o Executivo de privatizar empresas estatais sem autorização legislativa, foi reconhecida pelo movimento como uma vitória. Mas, apesar disso, o comitê mantém a luta e chama a atenção para a necessidade da organização coletiva contra o desmonte.

"A luta em defesa do nosso patrimônio deve continuar. Assim, todos estão convocados para mais esse dia nacional de mobilização", afirmou o coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa) Dionísio Reis, ao portal da Contraf-CUT.

Pelas capitais, o movimento organiza suas atividades em diferentes horários. Em São Paulo, ato está agendado para as 11h, na Praça da Sé, em frente à Caixa. No Rio, manifestação será realizada a partir das 12h, no prédio da CEF na Avenida Almirante Barroso. Os sindicatos da capital mineira se reunirão a partir das 10h no Rua dos Carijós, 218, região central. Em Brasília, convocação está marcada para as 16h, na Rodoviária do Plano Piloto. Pela manhã, ato em Belém será no corredor financeiro da Avenida Pedro Miranda, na Pedreira. No centro de Vitória, a manifestação ocorrerá às 12h, na praça Costa Pereira. 

A agenda contra a privatização pretende também garantir o aprofundamento do debate sobre bens públicos e soberania nacional durante as disputas eleitorais deste ano. Segundo a coordenadora do comitê, Maria Rita Serrano, o objetivo é aproximar-se dos atores políticos nestas eleições.

Com informações do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, do portal da Contraf-CUT e do Sindicato dos Petroleiros