Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2012 / 05 / Sindicato cobra cumprimento de liminar que impede abertura da Caixa em São Paulo

Sindicato cobra cumprimento de liminar que impede abertura da Caixa em São Paulo

Entidade fará plantão durante todo o dia para garantir que as agências não abram. Caixa espera resposta a recurso ainda hoje (12)
por Redação da RBA publicado , última modificação 14/05/2012 14h19
Entidade fará plantão durante todo o dia para garantir que as agências não abram. Caixa espera resposta a recurso ainda hoje (12)

Na agência Vital Brasil, na zona oeste, e em muitas outras, funcionários, que desconheciam a liminar, aguardaram a liberação do banco (Foto: Paulo Pepe)

São Paulo – Bancários convocados para trabalhar hoje (12) pela Caixa Econômica Federal chegaram às agências sem saber da liminar concedida pela juíza do Trabalho Maria Eulália de Souza Pires na noite de ontem à ação civil pública movida pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo contra a abertura das 48 unidades de sua base.

Pela manhã, alguns permaneciam do lado de fora das agências ou próximos a elas em compasso de espera. Segundo o sindicato, que percorreu as agências para garantir o cumprimento da decisão judicial, o banco não pode manter os trabalhadores à sua disposição. A multa diária prevista é de R$ 5 mil por trabalhador. A Caixa, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que está respeitando a decisão judidicial e que aguarda para hoje ainda resposta ao recurso impetrado. 

A presidenta do sindicato, Juvandia Moreira, disse que os diretores da entidade estão de plantão nas agências durante todo o dia e que em caso de descumprimento da sentença eles vão chamar a polícia. Juvandia explicou que nem mesmo os funcionários comissionados podem trabalhar. A Caixa informou que em alguns locais só os comissionados trabalhariam.

"Nossa jornada é garantida de segunda a sexta. Qualquer trabalho extraordinário aos sábados precisa ser negociado, ter a concordância dos trabalhadores", disse Juvandia.

“Os bancos querem abrir sempre, todo sábado. Se deixamos fazer hoje, abre-se precedente para que todos façam e façam sempre”, completou a presidenta da entidade.

Segundo o sindicato, os gestores também estão sendo alertados de que podem ser punidos pelo descumprimento da decisão judicial, caso mantenham os funcionários no local de trabalho. "Eles deveriam ter avisado os bancários da decisão e não o fizeram", afirmou Juvandia.