Você está aqui: Página Inicial / Política / 2018 / 03 / Áudios revelam conduta terrorista de agressores da Caravana de Lula no Sul

Machistas, fascistas

Áudios revelam conduta terrorista de agressores da Caravana de Lula no Sul

Extremistas trocam áudios com ameaças à caravana quando ela se desloca para Sarandi. Em Cruz Alta, quatro mulheres foram agredidas. Em nota, PT-RS denuncia ação de "bandidos e covardes"
por Redação RBA publicado 23/03/2018 12h39, última modificação 29/03/2018 08h42
Extremistas trocam áudios com ameaças à caravana quando ela se desloca para Sarandi. Em Cruz Alta, quatro mulheres foram agredidas. Em nota, PT-RS denuncia ação de "bandidos e covardes"
Guilherme Santos/Sul21
Caravana_Lula_RS

Organizados em grupo de Whatsapp, agressores da Caravana combinavam ações e faziam ameaças

São Paulo – Áudios trocados por WhatsApp obtidos pela RBA revelam que os grupos de extrema-direita que tentam intimidar a Caravana Lula pelo Brasil no Rio Grande do Sul agem como terroristas. Combinam as operações em grupo e demonstram não se importar com consequências, como ser detido pela polícia.

Os grupos vêm agindo impunemente desde o primeiro dia, na segunda-feira (19), em Bagé. A imprensa chegou a noticiar que a caravana planejou alterar e encurtar a agenda, mas a organização negou e prosseguiu com as atividades programadas, em nome do compromisso com as populações das comunidades onde é aguardada.

Em um dos áudios, um homem fala sobre a tentativa de furar os pneus da comitiva do ex-presidente: "Ai, Gaudério, tranquilo ai, ou não?! Faz uns 35 minutos que eles saíram daqui, lá onde nós estávamos terminou a bateria, e não pega internet… É muito ruim de sinal em São Miguel. (Inaudível)...Vão trancar eles ali, vão queimar pneu na pista, tem um tratoraço lá em cima e vão trancar, estão tentando furar os pneus da comitiva, mas não sei não, e ai pra frente vai ter mais rolo meu amigo".

Em outro momento, um homem se exalta com a possibilidade de Lula dormir na cidade de Sarandi e ameaça "derrubar" o hotel em que o ex-presidente estará, nem que tenha que ir preso: "Vamos derrubar o hotel desse fdp aí. Ô Marcão, vamos organizar a galera aí. Vamos falar com o Alemão do bureau pra gente ficar ai no prédio dele da esquina (inaudível). Nós vamos ferver nem que for para a cadeia. Esse filho da puta, dormir aqui em Sarandi, que vergonha. Mas já enchi o saco do Samir, tomar no cu, vai ficar milionário com a diária desse filho da puta aí. Manda embora, manda dormir lá no barranco, que são tudo petezada, tropa de ladrão filho de uma puta. Mas esse Lula não vai dormir ai. Nós vamos derrubar tudo".

Ontem (22), quatro mulheres chegaram a ser atacadas com violência antes da chegada da comitiva a Cruz Alta. O PT no Rio Grande do Sul emitiu nota classificando como “bandidos e covardes” os responsáveis por esses ataques. “Um grupo de extremistas de direita do Rio Grande do Sul vem organizando protestos contra a caravana Lula desde Bagé, incitando o ódio e as agressões. Agem como bandidos ao atentarem contra a integridade física da militância e da população que participa das atividades. Ou alguém acha que esses sujeitos jogam pedras sem a intenção de machucar?”, diz a mensagem assinada pelo presidente estadual da legenda, Pepe Vargas, e a deputada estadual Stela Farias, líder do partido na Assembleia.

Ouças os áudios:

 

Nota da Executiva Estadual e da bancada do PT

Bandidos e covardes

Um grupo de extremistas de direita do Rio Grande do Sul vem organizando protestos contra a caravana Lula desde Bagé, incitando o ódio e as agressões. Agem como bandidos ao atentarem contra a integridade física da militância e da população que participa das atividades. Ou alguém acha que esses sujeitos jogam pedras sem a intenção de machucar?

Ontem, em Cruz Alta, este grupo mostrou que além de bandidos são covardes, ao agredirem mulheres que se deslocavam na ida e na saída do ato, que estavam com bandeiras do PT.

Ieda Alves e Daniele Mendes, no começo do ato, foram agredidas. Arrancaram a bandeira da Daniele e queimaram. Ieda foi derrubada no chão e só não foi espancada porque a Brigada chegou e agiu. Elas fizeram Boletim de ocorrência.

Suzana Machado Ritter foi atacada quando estava indo para a manifestação. Ela estava sozinha, foi cercada, arrancaram sua bandeira. "Eles roubaram minha bandeira e a derrubaram." Suzana conta que maior que a dor das escoriações é a dor de ver destruída a bandeira que tinha desde 1989 e que era autografada pelo presidente Lula.

Deise Miron voltava do ato para casa. Foi espancada e teve que ser hospitalizada. Lutando contra um câncer e fazendo radioterapia, teve que lutar também contra bandidos covardes.

O Partido dos Trabalhadores do RS e a Bancada do PT RS manifestam seu repúdio à violência que vem sendo praticada por esta minoria que tem agido na chegada da caravana nas cidades. Uma minoria que não representa a maioria da população que quer Lula presidente e que rejeita o ódio e a violência.

Conclamamos a todas pessoas que tenham registrado estas agressões a nos enviarem as imagens para que os responsáveis sejam identificados e punidos. Não podemos permitir que esta minoria bandida e covarde ameace a vida das pessoas. Não vão nos intimidar. Toda força à Ieda, Daniela, Deise e Suzana que representam as valorosas mulheres militantes do PT e dos movimentos sociais. A caravana Lula vai passar. Machistas, fascistas, não passarão.

Pepe Vargas - Executiva Estadual do PT RS
Stela Farias - Bancada do PT na ALRS.