Defesa do emprego

Metalúrgicos veem avanço na negociação para venda da Ford no ABC

Segundo informação de Doria aos sindicalistas, a empresa assinou termo de confidencialidade com um dos interessados

Adonis Guerra/SMABC
ford

Metalúrgicos do ABC em reunião com o governador pedem manutenção dos postos de trabalho: ‘Saímos esperançosos’

São Paulo – Depois de reunião com o governador paulista, João Doria (PSDB), ontem (28) à noite, os metalúrgicos do ABC afirmam que houve avanço nas negociações para venda da fábrica da Ford em São Bernardo do Campo. De acordo com o presidente da entidade, Wagner Santana, o Wagnão, o governador informou que foi assinado termo de confidencialidade entre a montadora e um dos grupos interessados. 

“Saímos esperançosos. O governador se mostrou confiante com o encaminhamento das negociações, cujo conteúdo é tratado em sigilo comercial”, afirmou o sindicalista. Também participaram da reunião o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), o diretor e ex-presidente do sindicato Rafael Marques e dois integrantes do Comitê Sindical na Ford, José Quixabeira de Anchieta, o Paraíba, e Adauto de Oliveira.

Em fevereiro, a Ford anunciou o fechamento de sua fábrica de São Bernardo, onde são produzidos caminhões e um modelo do Fiesta. Representantes dos metalúrgicos foram aos Estados Unidos conversar com a direção mundial da empresa, que ratificou a decisão, mas informou que havia três interessados na compra da unidade, que tem aproximadamente 4.330 funcionários, sendo 1.500 terceirizados.

Na conversa, os metalúrgicos voltaram a enfatizar que qualquer acordo deve contemplar manutenção dos postos de trabalho. “Ele (Doria) reafirmou que essa tem sido a exigência constante nas conversas com os possíveis investidores. É uma condição para que o acordo seja feito”, disse Wagnão.

Paralelamente, o sindicato conversa com a empresa sobre encerramento dos contratos de trabalho. “Havendo comprador, será necessário fechar um contrato e iniciar outro. Estamos atentos para fechar um acordo que seja justo para esses trabalhadores, que fizeram a riqueza da empresa por tanto tempo. A Ford tem um preço a pagar por sua decisão”, lembrou o presidente da entidade. Foi marcada nova assembleia para a próxima terça-feira.

Nos últimos dias, a direção da Ford falou sobre fechamento de fábricas na Rússia. E anunciou seu novo diretor financeiro, Tim Stone, que assumirá o cargo em 1º de junho.