Home Trabalho Metalúrgicos realizam atos contra reformas de Temer nesta quinta-feira
defesa dos direitos

Metalúrgicos realizam atos contra reformas de Temer nesta quinta-feira

Mobilização unificada em São Paulo terá concentração a partir de 9h na Praça Ramos de Azevedo, em frente ao Teatro Municipal. Outras capitais e cidades também estarão mobilizadas para o Dia Nacional de Lutas, Protestos e Greves
Publicado por Redação RBA
17:11
Compartilhar:   
adonis guerra / smabc
wganao110394.jpg

Wagnão: “Estamos convocando a categoria para estar conosco nessa luta que é de toda a classe trabalhadora”

São Paulo – Os metalúrgicos do país estarão mobilizados amanhã (14) contra a retirada dos direitos dos trabalhadores imposta pelo governo de Michel Temer e o Congresso Nacional, seja por meio da terceirização irrestrita, da reforma trabalhista, ambas já aprovadas, ou da reforma da Previdência, que ainda será apreciada pelo Congresso. O Dia Nacional de Lutas, Protestos e Greves é organizado pelo movimento Brasil Metalúrgico. A agenda inclui paralisações e manifestações em portas de fábricas em todo país, além de atos unificados em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Paraná, Rio Grande do Sul e Goiás.

Na capital paulista, os Metalúrgicos do ABC participam da manifestação com sindicatos de São Paulo, Guarulhos e interior do Estado, com concentração na Praça Ramos de Azevedo (centro), em frente ao Teatro Municipal de São Paulo, às 9h. De lá os manifestantes seguirão em passeata pela rua Xavier de Toledo até a Rua Martins Fontes 109, onde haverá um ato em frente à sede da Superintendência Regional do Trabalho. A expectativa é de que um grupo de dirigentes sindicais seja recebido pelo superintendente, Eduardo Anastasi, a quem foi solicitada uma audiência para 10h30.

Estamos convocando a categoria para estar conosco em São Paulo amanhã, nessa luta que é de toda a classe trabalhadora. Os Metalúrgicos do ABC sempre lutaram por direitos sociais e trabalhistas. E agora que querem avançar sobre estas conquistas não vamos deixar. A reforma trabalhista permite grávidas trabalhando em áreas insalubres, demissões coletivas, homologação fora do Sindicato, entre outros absurdos. Não vamos permitir que essa loucura se efetive”, destaca Wagner Santana, o Wagnão, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Ao participar dos atos desta quinta-feira, a CUT pretende reunir assinaturas para a criação de uma Lei de Iniciativa Popular que anule a reforma Trabalhista, que entra em vigor no país no dia 11 de novembro. “Essa proposta aprovada por esse governo e esse Congresso corrupto acaba com sua carteira assinada”, afirma o presidente da Central, Vagner Freitas.

“A reforma trabalhista é um dos mais severos ataques já aplicados contra a classe trabalhadora do país. O governo Temer e Congresso Nacional agiram para beneficiar empresários e enfraquecer a legislação trabalhista. Amanhã, será dia de darmos a resposta a esse governo e aos patrões. Os metalúrgicos não permitirão que as mudanças sejam aplicadas na categoria”, afirma o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Antônio Ferreira de Barros, o Macapá. Em São José dos Campos, os protestos acontecerão em frente às fábricas, pela manhã.

O movimento Brasil Metalúrgico luta contra o fim dos direitos sociais e trabalhistas e em defesa das conquistas das Convenções Coletivas de Trabalho, contra o desmonte da Previdência Social e sua reforma, contra a lei da terceirização e as privatizações anunciadas pelo governo Temer. Integram o movimento as entidades CNM/CUT, FEM/CUT, CNTM/Força, Federação Democrática dos Metalúrgicos de Minas Gerais, FemetalMinas/CNTM, Federação dos Metalúrgicos do ESP/ Força, metalúrgicos da UGT, FITMETAL/CTB, Intersindical, CSP-Conlutas e CSB.

As manifestações também terão participação de outras categorias da indústria, a maioria em campanha salarial neste segundo semestre. Elas se unem aos metalúrgicos para defender suas convenções coletivas da destruição que as reformas tentam impor.

Abaixo, alguns dos pontos onde há confirmação de atos unificados e manifestações em fábricas:


São Paulo

Ato unificado na Superintendência Regional do Trabalho – 10h – Rua Martins Fontes, 109, centro. Concentração às 9h na Praça Ramos de Azevedo.

Manifestações nas fábricas: Sabó (5h45- rua Mateo Forte, 216, Lapa), SPTF (7h – Av. Presidente Wilson, 2.264, Mooca), Fame (7h – Rua Cajuru, 746, Belenzinho), Neade e Alfa Elevadores (8h –Rua Cesário Ramalho, 800 – Cambuci)

Guarulhos
Manifestações nas fábricas:  Tower (Arujá, 6h), Continental (Itapegica, 7h), ABB (Jd. São Roque, 7h), New Power (Cumbica, 7h), Permetal (V. Nova Cumbica, 7h)

Osasco
Assembleias a partir das 5h em 15 fábricas, entre elas, Meritor e Belgo/Cimaf

Rio de Janeiro
Protesto em frente à sede da Petrobras (centro)

Curitiba (PR)
Movimento em frente às fábricas, entre elas, Renault/Volks (5h), em São José dos Pinhais, e Volvo (6h), na Cidade Industrial

Rio Grande do Sul
Haverá paralisações em 28 empresas

Minas Gerais
Protestos em Itajubá, Belo Horizonte e Vale do Aço

Catalão (GO)

Manifestação nas fábricas John Deere e Mitsubishi