Atrocidade

Bolsonarista Bibo Nunes diz que estudantes merecem ser ‘queimados vivos’

Declaração de deputado bolsonarista fez lembrar incêndio da boate Kiss, causando revolta nas redes sociais. Ministério Público abre processo contra parlamentar

Lula Marques
Lula Marques
Do mesmo partido de Bolsonaro, Bibo Nunes não conseguiu se reeleger

São Paulo – Em reunião realizada na manhã desta sexta-feira (21), em Santa Maria, procuradores do Ministério Público Federal (MPF) instauraram um inquérito para averiguar a manifestação publicada pelo deputado federal Bibo Nunes (PL-RS) contra estudantes da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

O deputado Valdecir Oliveira (PT), presidente da Assembleia Legislativa, protocolou pedido de investigação contra Nunes. Em transmissão na internet no último dia 9, o parlamentar bolsonarista afirmou que os estudantes “mereciam ser queimados vivos”, em uma alusão ao filme Tropa de Elite.

No vídeo, o deputado bolsonarista sugeriu punição aos estudantes que protestaram contra os cortes promovidos pelo governo federal. No início do mês, a gestão Bolsonaro anunciou cortes de R$ 2,4 bilhões nas verbas do Ministério da Educação para desviar ao orçamento secreto. Sem recursos, as universidades teriam que paralisar suas atividades. Diante dos protestos, o governo acabou voltando atrás.

Nunes alegou que os estudantes estariam protestando a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Ser rico e não ter noção, como esses aí. É o filme Tropa de Elite. Sabe o que aconteceu? Olha o filme um. Pegaram aqueles coitadinhos, aqueles riquinhos ajudando pobre e que se deram mal e queimaram vivos. Queimaram vivo dentro de pneus, queimaram vivo, e é isso que esses estudantes alienados, filhos de papai e que tem grana merecem. Não que eu queira isso, mas eles merecem porque eles estão arriscando acabar com o nosso Brasil”, disse o deputado.

Ecos do incêndio da boate Kiss

A declaração do deputado remeteu a uma tragédia traumática para Santa Maria: o incêndio da boate Kiss, em 2013. Na ocasião, 242 pessoas morreram queimadas e asfixiadas. Outras 636 pessoas ficaram feridas. Grande parte das vítimas era de estudantes da UFSM. 

“Não podemos aceitar como normal uma fala tão agressiva e, ao meu ver, criminosa. Pois ela gera uma incitação à violência e ao ódio”, afirmou o deputado Valdecir Oliveira. “Nossa cidade segue machucada pelo terrível episódio do incêndio da Boate Kiss, e esse cidadão vai a público insinuar que outros jovens daqui merecem ser queimados vivos. O que é isso? Aonde fomos parar? Tem que haver uma cobrança e uma responsabilização sobre uma fala tão covarde e irresponsável”, frisou.

A declaração chocou o Rio Grande do Sul. A reitoria da UFSM reagiu dizendo que “repudia todo e qualquer discurso de ódio, de falta de civilidade”. “Nossos estudantes são nosso maior patrimônio”, disse a instituição, em nota. “Toda vez que um estudante ou um servidor público da área da educação for atacado e/ou desqualificado nos ergueremos em defesa da nossa comunidade e da nossa instituição, que é de Estado e não de um governo.”

Do mesmo modo, a UFPel também emitiu uma nota para rebater as declarações do bolsonarista. A universidade classificou as falas do parlamentar como “algo torpe e vil”. E disse que “o sentimento é de tamanha indignação, incredulidade e verdadeira tristeza” por parte dos alunos e direção da universidade.

Mais protestos

Por conta das declarações horripilantes, Bibo Nunes foi parar nos trending topics (temas mais comentados) do Twitter, com mais de 20 mil menções. Políticos e internautas prestaram solidariedade aos estudantes atacados, às vítimas da boate Kiss, e condenaram a atitude do parlamentar. Um dos mais fies seguidores de Bolsonaro no Rio Grande do Sul, Nunes se candidatou, mas não foi reeleito para a Câmara dos Deputados.

Confira postagens de protesto contra Bibo Nunes: