Prevaricação

Por negar proteção aos brasileiros da morte por covid, senador apresenta nova queixa-crime contra Bolsonaro

Jaques Wagner (PT-BA) apresenta ação no STF contra o presidente da República, cuja postura é considerada, no Brasil e no mundo, irresponsável e negacionista, contribuindo para a escalada de infecções e mortes pela pandemia no país

Clauber Cleber Caetano/PR
O estímulo às aglomerações, entre outros atos de negação à pandemia são considerados prevaricação

São Paulo – O senador e ex-governador da Bahia Jaques Wagner (PT) quer que o Supremo Tribunal Federal (STF) abra inquérito para apurar se o presidente Jair Bolsonaro cometeu crime de prevaricação. Para isso, o parlamentar apresentou, nesta sexta-feira (5), queixa-crime contra o presidente. “Sua postura irresponsável e negacionista contribui para o agravamento da situação do país causada pela pandemia da covid-19”, anunciou.

Para Jaques, o crime de Bolsonaro está configurado ao não tomar medidas necessárias para conter o descontrole da contaminação da população brasileira pelo novo coronavírus. O Brasil vem batendo recordes sucessivos de contágio e mortes por covid-19. “O presidente sabe que tem gente morrendo, que precisa comprar vacina e faz de conta que não sabe de nada. E ainda se coloca contra a vacina. É um crime”, disse.

“Até quando?”

Ontem, um dia depois da morte de mais de 1.910 brasileiros em apenas 24 horas – em números oficiais –, Bolsonaro chamou de “mimimi” e “frescura” o esforço de gestores e especialistas que cobram providências do governo federal.

“Chega de frescura e mimimi. Vão ficar chorando até quando?”, disse o presidente, ao se manifestar contra as políticas de isolamento e restrições que governos estaduais vêm decretando para conter a contaminação. E ainda protestou contra as vacinas. “Tem idiota que a gente vê nas redes sociais, na imprensa, ‘vai comprar vacina’. Só se for na casa da tua mãe”, provocou.

O país vive o pior momento do surto de coronavírus e tornou-se o epicentro global da doença,s egudno. Todos os estados estão com os sistemas de saúde sobrecarregados; muitas cidades em colapso. Já são numerosos os relatos de brasileiros morrendo sem conseguir sequer atendimento médico.

Veio a público nesta quinta decisão do ministro do STF Marco Aurelio Mello quanto a outra queixa-crime contra Bolsonaro, apresentada pelo governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). O ministro quer que a Câmara decida se o presidente será afastado e processado por crime de calúnia apontado pelo governador.


Leia também


Últimas notícias