eleições 2020

Marília Arraes cresce em Recife e aponta para o segundo turno

A petista Marília Arraes subiu de 18% para 21% das intenções de votos em menos de 15 dias. João Campos (PSB) segue estático na liderança, com 31%

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
A ascensão de Marília foi forte entre as mulheres. Na última pesquisa, do dia 22 de outubro, a petista tinha 15% de intenções de votos entre elas. Agora, este número subiu para 22%

São Paulo – A pesquisa de intenções de votos Datafolha divulgada hoje (5) mostra forte ascensão da candidata petista para a prefeitura de Recife, Marília Arraes. Em menos de 15 dias, Marília subiu de 18% das intenções de votos para 21%. Neste cenário, é possível uma disputa em segundo turno contra o líder das pesquisas, João Campos (PSB), que manteve 31% no mesmo período.

Na sequência, brigam pela terceira posição Mendonça Filho (DEM), com 16% e Delegada Patrícia (Pode), com 14%. Ex-ministro da Educação de Michel Temer, o candidato pelo DEM variou um ponto percentual para cima, enquanto a candidata do Podemos observou queda de 2%.

A ascensão de Marília foi forte entre as mulheres. Na última pesquisa, do dia 22 de outubro, a petista tinha 15% de intenções de votos entre elas. Agora, este número subiu para 22%. A petista também subiu de preferência entre eleitores de idade mais avançada, de 16% para 21%, entre os eleitores com escolaridade média, de 15% para 20% e, também, entre os mais pobres, de 14% para 20%.

Marília observou queda nas intenções de voto apenas entre o eleitorado mais rico, com renda acima de cinco salários mínimos: de 33% para 23%.

Em termos de rejeição, Delegada Patrícia lidera: 35% dos entrevistados afirmam que não votariam nela. A rejeição à candidata mais do que dobrou no último período, sendo intensificada entre todas as parcelas do eleitorado. Na sequência de rejeição vem João Campos, com 34%, Mendonça Filho, com 32%, Coronel Feitosa (PSC), com 30% e Marília Arraes, com 26%.

A pesquisa foi encomendada pelo jornal Folha de S.Paulo e pela TV Globo e ouviu 924 eleitores entre os dias 3 e 4 de novembro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.