Traição

Eduardo Bolsonaro pode ser cassado por entregar brasileiros pró-democracia aos EUA

Dossiê foi elaborado pelo deputado estadual Douglas Garcia (PTB-SP), que confirmou a entrega de uma cópia à embaixada dos EUA, junto com o filho do presidente

Reprodução
Subserviência de Eduardo aos americanos não é novidade

São Paulo – Parlamentares querem o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) seja cassado, após a divulgação de que ele teria enviado cópia, à embaixada dos Estados Unidos, de uma dossiê sobre militantes antifascistas. O arquivo inclui informações de centenas de pessoas e foi elaborado pelo deputado estadual Douglas Garcia (PTB-SP). Ele confirmou ter transmitido o dossiê às autoridades americanas, junto com o filho do presidente. Os deputados da oposição falam em crimes de lesa-pátria e traição cometido pelos parlamentares, ao conspirarem com estrangeiros contra nacionais.

A existência do dossiê foi inclusive confirmada pela Justiça. Garcia foi condenado na semana passada a indenizar uma mulher que teve seu nome incluído na lista de supostos “terroristas”. Para elaborar o dossiê, Garcia pediu a colaboração dos seus apoiadores nas redes sociais. Estes, então, enviaram enviaram nomes, números de documentos, endereços e perfis de milhares pessoas que se posicionam de forma contrária ao governo Bolsonaro. A lista inclui desde professores universitários a policiais militares e federais que se intitulam como antifascistas, além de integrantes de movimentos sociais que fazem a luta em defesa da democracia.

Além dos parlamentares, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também afirmou que Eduardo Bolsonaro deveria ser “denunciado e cassado” pela entrega do dossiê aos americanos. O possível crime de traição do filho do presidente esteve entre os assuntos mais comentados no Twitter. Confira as reações de parlamentares e outras personalidades: