Na fé

Pastor usa culto para convencer fiéis a assinar apoio a partido de Bolsonaro

Reverendo de igreja presbiteriana em Londrina, no Paraná, "desafiou" frequentadores a aderir ao Aliança pelo Brasil, num movimento que tem se repetido por templos do país

Reprodução/Youtube
Emerson Patriota, da Igreja Presbiteriana de Londrina durante culto em que "desafiou" fiéis a se filiarem à Aliança pelo Brasil, o partido que Bolsonaro quer criar

São Paulo – Durante culto, no domingo (26), fiéis da Igreja Presbiteriana Central de Londrina, no Paraná, foram “desafiados” pelo reverendo Emerson Patriota, a assinarem ficha de apoio à criação do Aliança pelo Brasil, partido criado pelo presidente Jair Bolsonaro. Representantes de um cartório da cidade estavam no local para fazer o reconhecimento das assinaturas, conforme exigido pela lei eleitoral do país.

Segundo o jornal O Estado de S.Paulo (Estadão) a ideia de juntar movimento religioso e concessão pública, caso dos cartórios de registro civil, para fazer campanha eleitoral explícita foi do deputado Filipe Barros (PSL-PR), aliado do presidente e membro daquela igreja. Ao jornal, o parlamentar festejou o resultado, afirmando que “centenas” de assinaturas foram recolhidas no local. Quem chegava ao templo, via na entrada um ônibus estampado com a marca do Aliança e fotos de Jair Bolsonaro e Filipe Barros.

“Nós estamos desafiando você, todos, a passarem lá, conhecerem o estatuto, os valores. Na verdade, eu estava conversando com algumas pessoas e disseram que é mais difícil entrar nesse partido do que em algumas igrejas por aí. Tem que ter mais vida idônea do que algumas igrejas exigem. Isso é muito bom porque tem valores familiares”, argumentou o Emerson (vídeo abaixo).

Para obter o registro oficial, o Aliança precisa de aproximadamente 492 mil assinaturas. Para poder concorrer nas eleições municipais deste ano, a legenda precisa ser homologado até 4 de abril.

Ao Estadão, o deputado Filipe Barros disse outras instituições religiosas estão se mobilizando para reunir as assinaturas. Ele afirmou que o “busão do Aliança”, como foi batizado, está percorrendo cidades do Paraná para mobilizar aliados e é bancado por apoiadores de Bolsonaro.

Além da Presbiteriana em Londrina, ainda segundo o jornal, lideranças de outras igrejas evangélicas se mobilizam para ajudar Bolsonaro a oficializar o Aliança pelo Brasil. No sábado (25), aliados do presidente recolheram assinaturas na Assembleia Legislativa do Amazonas. O presidente da Assembleia de Deus no Estado, Jônatas Câmara, pediu que apoiadores fossem ao local para integrar a lista.

Especialistas ouvidos pelo jornal afirmaram que coletar assinaturas em igrejas para criar um partido político não é ilegal. A restrição só ocorre em período de campanha eleitoral, quando candidatos não podem pedir votos em locais classificadas como “bens públicos”.