Home Política Chico Buarque e Gilberto Gil encerram Festival Lula Livre com ‘aquele abraço’
No Rio

Chico Buarque e Gilberto Gil encerram Festival Lula Livre com ‘aquele abraço’

Foram cerca de 10 horas de programação cultural que reuniu milhares nos Arcos da Lapa ao longo do sábado para cantar contra a injustiça
Publicado por Tiago Pereira, da RBA
10:12
Compartilhar:   
Ricardo Stuckert
Chico e Gil

Chico e Gil também cantaram juntos a canção ‘Cálice’, que lembra os tempos da censura durante a ditadura

Rio de Janeiro – Chico Buarque e Gilberto Gil encerraram, na noite do sábado (28), o Festival Lula Livre, no centro do Rio de Janeiro, com o clássico da música brasileira Aquele Abraço, composto em 1969 e que se tornou uma homenagem às belezas da capital fluminense. Segundo os organizadores, o evento ocorrido nos Arcos da Lapa reuniu cerca de 80 mil pessoas, que defenderam o restabelecimento da normalidade democrática no país, com a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu direito de participar das eleições de outubro como candidato.

Chico e Gil também cantaram juntos a canção Cálice, composta pela dupla em 1973, que lembra os tempos da censura durante a ditadura civil-militar. Antes de Chico, que abriu a apresentação pedindo “Lula Livre”, foi a vez da sambista Beth Carvalho, que pediu a união da esquerda na disputa eleitoral. “O povo sabe, o povo quer, o povo diz, nós queremos Lula andado livre no país”, clamou a cantora, que também animou o público com um dos maiores sucessos de sua carreira, Vou Festejar.

No último bloco do festival, que contou com inúmeras atrações culturais desde o início da tarde, Jards Macalé cantou que “o sol há de brilhar novamente”, versos de Juízo Final, de Nelson Cavaquinho e Élcio Soares. O cantor e compositor Chico César emocionou quando misturou seu sucesso Mama África com versos de Pra Não Dizer que Não Falei das Flores (1968), de Geraldo Vandré, que também marcou a luta contra a ditadura. 

Mais cedo, o grupo Heavy Baile, as cantoras Dani Negra e Craca, MC Carol e o rapper Renegado trouxeram o funk e as ritmos da periferia. Mais uma vez, foi lembrado o crime que tirou a vida da vereadora Marielle Franco (Psol), que após 136 dias continua sem solução. A banda Gotam Cru destacou que Lula é preso político, vítima do “grande acordo nacional, com o Supremo, com tudo”, e também criticaram o governo Michel Temer e seus retrocessos “a galope”.

Outro ponto alto da noite foi quando o músico Odair José cantou Eu vou Tirar Você Desse Lugar, em referência indireta ao ex-presidente Lula, mantido preso em Curitiba. O cantor Daniel Téo levou para a Lapa a canção You’re not alone, (em português, Você não está sozinho), que presta homenagem a LulaNelson Mandela, Dalai Lama, Desmond Tutu, Mahatma Gandhi, Martin Luther King, John Lennon, Rosa Parks e outros ícones globais da luta pela paz, justiça e igualdade.